Conferência internacional reforça os valores das universidades

A conferência marcou o 28º aniversário da Magna Charta Universitatum, documento referência para os valores e princípios fundamentais das Universidades

Compartilhar no FacebookCompartilhar no Google+Tweet about this on TwitterImprimir esta páginaEnviar por e-mail
994X5008
O reitor da Universidade de Bolonha, Francesco Ubertini, entregou o símbolo da Magna Charta ao reitor Marco Antonio Zago

A USP sediou, nos dias 20 e 21 de outubro, a conferência internacional “Reduzindo as Desigualdades Sociais: O Papel das Universidades”, que marcou o 28º aniversário da Magna Charta Universitatum, documento que se tornou referência para os valores e princípios fundamentais das Universidades.

Cerca de 130 dirigentes e representantes de universidades, entidades e instituições governamentais nacionais e internacionais participaram do evento.

Todo ano, o Observatório Magna Charta Universitatum organiza um encontro para elencar desafios atuais em confirmação aos valores fundamentais das instituições de ensino superior. Esta foi a primeira vez que o evento foi realizado fora da Europa, com a coordenação da Agência USP de Cooperação Acadêmica Nacional e Internacional.

A Universidade de Bolonha, na Itália, fundada em 1088, é considerada a universidade mais antiga do mundo ocidental. Em setembro de 1988, quando comemorou 900 anos de fundação, 388 reitores assinaram a Magna Charta Universitatum, dentre eles, o então reitor da USP, José Goldemberg.

Na conferência promovida na USP, mais três instituições passaram a subscrever o documento – Universidade do Minho (Portugal), Universidade Federal do Rio Grande do Sul e Universidade de Minas Gerais – que se somaram às mais de 800 universidades de 85 países que já constam no documento.

O presidente do Observatório Magna Charta Universitatum, Sijbolt Noorda, ressaltou os principais desafios do ensino superior no mundo atual

O reitor Marco Antonio Zago deu início ao evento, no dia 20 de outubro, comemorando o fato de a USP sediar a conferência. “As universidades representam as forças líderes para as mudanças sociais. São instituições que transcendem as fronteiras e influenciam a vida das regiões em que estão inseridas”, afirmou.

O presidente do Observatório Magna Charta Universitatum, Sijbolt Noorda, ressaltou os principais desafios do ensino superior no mundo atual: o acesso dos estudantes, a formação dos profissionais e a manutenção dos valores acadêmicos.

Para o reitor da Universidade de Bolonha, Francesco Ubertini, “a educação significa a criação de valores e não apenas a transmissão de conhecimento. Precisamos encarar esses desafios juntos para construir uma sociedade mais sustentável”.

Na ocasião, também foi realizado o rito de passagem da celebração do próximo aniversário da Magna Charta, em 2017, que será realizado na University of Pécs, na Hungria.

Clique aqui e leia um resumo da programação da conferência.

(Fotos: Ernani Coimbra)

Compartilhar no FacebookCompartilhar no Google+Tweet about this on TwitterImprimir esta páginaEnviar por e-mail

Textos relacionados