Reitoria cria comissão permanente de negociação com funcionários

A Comissão consolidará e dará continuidade às reuniões que vêm sendo realizadas regularmente, desde dezembro do ano passado, entre o Sindicato dos Trabalhadores da USP (Sintusp) e a Reitoria, para discutir temas relacionados à categoria técnico-administrativa da Universidade.

Compartilhar no FacebookCompartilhar no Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedInImprimir esta páginaEnviar por e-mail

A Comissão consolidará e dará continuidade às reuniões que vêm sendo realizadas regularmente, desde dezembro do ano passado, entre o Sindicato dos Trabalhadores da USP (Sintusp) e a Reitoria, para discutir temas relacionados à categoria técnico-administrativa da Universidade

Instituída pela Portaria GR 6.659, de 8 de abril, a Comissão Permanente de Relações de Trabalho (Copert) estabelece um canal de negociação permanente entre a Administração e os representantes dos servidores técnico e administrativos. O objetivo da Comissão é tratar, por meio do diálogo contínuo, das reivindicações decorrentes das relações de trabalho, propondo medidas para a solução dos conflitos, articulando a participação das Unidades e órgãos centrais e negociando com o Sindicato os itens da pauta específica de reivindicação protocolada anualmente na Reitoria.

Além das reuniões ordinárias mensais, que devem ser organizadas em conjunto com o Sintusp, para debater pauta previamente definida, a Comissão poderá realizar reuniões extraordinárias sempre que necessário. A expectativa é que, com o aumento do diálogo, da flexibilidade para negociar e do reconhecimento da legitimidade de representação, seja possível prevenir conflitos e garantir uma melhoria contínua da satisfação dos servidores e da qualidade dos serviços por eles prestados.

Vinculada à Coordenadoria de Administração Geral (Codage), a Comissão é constituída por três membros designados pelo reitor, sendo um deles o presidente, e substitui a Comissão de Negociação Sindical da Reitoria que, desde o final do ano passado, tem se encontrado com o Sintusp. Nos encontros realizados até agora, foram discutidos o reajuste dos benefícios dos servidores, a questão das creches mantidas pela USP e o quadro de funcionários nos restaurantes universitários, entre outros temas relacionados à categoria técnico-administrativa da Universidade.

Grupo de Trabalho de Negociação Sindical

A Comissão Permanente de Relações de Trabalho (Copert) é resultado do estudo realizado pelo Grupo de Trabalho de Negociação Sindical, criado em outubro do ano passado, com o objetivo de estudar formas institucionais para os entendimentos referentes às relações de trabalho dos servidores técnico e administrativos da Universidade e estabelecer regras e procedimentos para a negociação sindical.

“A Copert é uma instância definida para ser a negociadora da Administração, dando continuidade às reuniões que já têm acontecido desde o final do ano passado. A partir de agora, a prática da negociação passa a ser parte da cultura institucional da Universidade. Não significa que as diferenças de opinião vão desaparecer, mas é um reconhecimento de que existem divergências e que elas precisam de um canal para serem processadas”, afirma a superintendente Jurídica da USP, Maria Paula Dallari Bucci, que presidiu os trabalhos do GT.

O Grupo de Trabalho de Negociação Sindical foi formado pelos professores Otávio Pinto e Silva (Faculdade de Direito), Antonio Rodrigues de Freitas Júnior (Faculdade de Direito) e Wilson Aparecido Costa de Amorim (Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade) e pelos representantes dos servidores técnico e administrativos Solange Conceição Lopes Veloso, Magno de Carvalho e Neli Maria Paschoarelli Wada, indicados pelo Sindicato dos Trabalhadores da USP (Sintusp).

Compartilhar no FacebookCompartilhar no Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedInImprimir esta páginaEnviar por e-mail

Textos relacionados