Alunos do Programa de Pré-Iniciação Científica são premiados

Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn0Print this pageEmail

(da esquerda para direita) O professor da Faculdade de Medicina da USP, Paulo Saldiva; a pró-reitora de Pesquisa da USP, Mayana Zatz; o governador José Serra; o presidente do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), Marco Antonio Zago; e o professor da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), Hersh Moysés Nussenzveig. (Crédito da foto: Ernani Coimbra)

Foi realizada, no dia 29 de outubro, no Centro de Convenções Rebouças, a cerimônia de entrega dos prêmios aos alunos vencedores do primeiro ciclo do Programa de Pré-Iniciação Científica, idealizado pela Pró-Reitoria de Pesquisa da USP, em parceria com a Secretaria Estadual de Educação. 

Estiveram presentes ao evento o governador de São Paulo, José Serra, o secretário Estadual de Educação, Paulo Renato de Souza; o secretário do Desenvolvimento do Estado de São Paulo, Geraldo Alckmin; o presidente do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), Marco Antonio Zago; e a pró-reitora de Pesquisa da USP, Mayana Zatz, entre outras autoridades.Os 365 alunos que concluíram o programa foram selecionados pela Secretaria Estadual de Educação em 55 diferentes escolas nas cidades em que há campi da USP.  Eles se comprometeram a dedicar, durante um ano, oito horas por semana a trabalhos desenvolvidos dentro de laboratórios da Universidade. Os projetos eram sempre orientados por um professor da USP e acompanhados pelos professores da rede de ensino médio. “Como apaixonados por pesquisa, nós queríamos que eles também tivessem essa vivência”, ressaltou a pró-reitora de Pesquisa, Mayana Zatz.O governador do Estado de São Paulo, José Serra, comentou o resultado do programa após ter participado da entrega dos prêmios: “Essa experiência é extraordinária. Os melhores alunos de escolas de Ensino Médio do Estado tiveram uma pré-iniciação científica, algo que eles não vão esquecer nunca. E, daqui, eu acredito que vão sair muitos cientistas e pesquisadores. Basta ver o entusiasmo e a satisfação que eles têm com o curso e com o diploma de pré-iniciação”.Diversão

Orientadas pela professora Roseli Fígaro, da Escola de Comunicações e Artes (ECA), as alunas vencedoras da categoria Ciências Humanas desenvolveram um estudo sobre a produção cultural durante os anos 30 e 70. “Apesar de tudo, foi muito divertido. Não esperava que fosse ser tão divertido fazer as pesquisas. E ganhar o prêmio foi a melhor coisa que poderia acontecer”, comemora Alissa Taschen, uma das responsáveis pelo projeto.

“Eu acredito que os resultados podem ser medidos pelos depoimentos dos alunos, muito mais do que o meu próprio depoimento. A Universidade ganhou muito em conhecer esses alunos e compreender o potencial que eles têm. Eles só precisam de um empurrão”, destacou a pró-reitora. Em discurso, afirmou que projetos parecidos deveriam ser adotados por outras Universidades. “Temos 600 Universidades no Estado de São Paulo, se todas fizerem o mesmo, faremos a diferença para o Brasil. União de Estado e Universidade, é nisso que devemos acreditar”. A cerimônia, que marcou o encerramento do primeiro ciclo do programa, ainda premiou escolas e estudantes responsáveis por projetos nas áreas de ciências exatas, humanas, biológicas e agrárias. O programa contou ainda com o patrocínio da Microsoft, Grupo Santander, Monsanto, Fundação Faculdade de Medicina e a Fundação de Apoio à USP (FUSP).

(Com informações de Fabrício Oliveira, do USP Online)

Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn0Print this pageEmail