Prefeitura do Campus da Capital regulamenta os ensaios das baterias

A partir de agora, os ensaios devem ser realizados exclusivamente nos espaços e nos horários estabelecidos

Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn0Print this pageEmail
A Praça do Relógio (perto da Torre) é um dos cinco locais disponibilizados, em caráter experimental, para os ensaios das baterias. Foto: Cecília Bastos/USP Imagem

Para organizar a prática dos grupos de percussão na Cidade Universitária “Armando de Salles Oliveira”, a Prefeitura do Campus USP da Capital (PUSP-C) está realizando o cadastro dos grupos que, a partir de agora, só poderão realizar os ensaios em locais e horários pré-determinados. As baterias que não se adequarem às normas serão notificadas e poderão sofrer penalidades.

A necessidade de regulamentar a atividade desses grupos surgiu por causa do grande número de reclamações recebidas pela Ouvidoria da USP, tanto da comunidade interna quanto da comunidade externa, em relação ao barulho causado pelos ensaios.

Um estudo de avaliação acústica apresentado em julho deste ano concluiu que, para atender às condições acústicas ideias, seria necessário que os ensaios das baterias ficassem a uma distância de 350 a 400 metros dos pontos receptores, algo inviável dentro da Cidade Universitária. O estudo também sugeriu os locais em que o potencial de incômodo seria menos significativo. (O documento completo está disponível na página da PUSP-C.)

Com base nesse estudo e após extensas discussões, o Conselho Gestor do Campus da Capital – órgão deliberativo que define as diretrizes para a atuação da Prefeitura do Campus e para a utilização das áreas comuns – elaborou um conjunto de regras para evitar que o ruído gerado pelas baterias perturbe as atividades de ensino, pesquisa e extensão da Universidade.

A Resolução 7.443/2017, publicada no dia 13 de novembro, define que os grupos de percussão interessados em realizar seus ensaios na Cidade Universitária devem se cadastrar na página da PUSP-C (o formulário já está disponível). Todos os integrantes do grupo devem ter vínculo ativo com a Universidade. A PUSP-C emitirá um cartão de identificação para cada integrante, que deve ser utilizado durante os ensaios.

Serão abertos dois períodos por ano para atualização cadastral e inscrição de novos grupos, nos meses de abril e setembro.

Após realizar o cadastro, os grupos terão acesso ao sistema para agendamento de ensaios, que disponibiliza os locais e os horários permitidos. O tempo de ensaio disponível para cada bateria fica limitado a 5 horas semanais.

A princípio, os horários definidos são das 12h às 13h e das 17h às 19h. Também em caráter experimental, foram disponibilizados cinco locais para ensaio: a cabeceira leste da raia olímpica (perto do Cepeusp), a Praça de Acolhimento (portão de pedestres da CPTM), o bolsão de estacionamento em frente à Faculdade de Ciências Farmacêuticas, a Praça Prof. Jorge Americano (portão de acesso do Instituto Butantan) e a Praça do Relógio (perto da Torre do Relógio). Cada local comporta até dois grupos simultaneamente.

A Superintendência de Prevenção e Proteção Universitária (SPPU) será responsável pela supervisão do cumprimento das novas regras e, na hipótese de realização de ensaio em local e horário não autorizado pela PUSP-C, a Guarda Universitária solicitará que o grupo dirija-se a um dos locais regulamentados ou suspenda a atividade imediatamente.

O descumprimento das normas estabelecidas acarretará em orientação, notificação por escrito ou abertura de processo administrativo disciplinar, dependendo da gravidade do incidente.

Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn0Print this pageEmail

Textos relacionados