Muro da Raia Olímpica começa a ser substituído por painéis de vidro

A Prefeitura de São Paulo deu início, no último sábado, dia 31 de março, à demolição de parte da estrutura anterior

  • 18
  •  
  •  
  •  
  •  
O projeto, quando concluído, prevê também a revitalização de toda a área da raia olímpica, que será beneficiada com a instalação de câmeras de monitoramento, paisagismo e iluminação por LED – Foto: Marcos Santos/USP Imagens

A Prefeitura de São Paulo deu início, no último sábado, dia 31 de março, à demolição de parte do muro existente entre a Raia Olímpica e a Marginal Pinheiros, que está sendo substituído por painéis de vidro, permitindo a visualização do campus da Universidade.

Nesta primeira etapa, cerca de 500 metros do muro foram derrubados. Quando for concluída a obra, com previsão para o final do mês de abril, os painéis se estenderão por 2,2 quilômetros.

Os painéis, de vidro com molduras em alumínio, são fixados em uma viga de concreto. Cada painel tem aproximadamente quatro metros de altura, dos quais três são de material transparente e um de concreto na base.

O isolamento acústico é considerado igual ou superior ao do muro de concreto existente e o material resultante da demolição será reciclado.

Segundo o projeto, o material utilizado é cinco vezes mais resistente do que o vidro comum, contando com 12 milímetros de espessura e película de proteção.

Em caso de quebra, o vidro se fragmenta em pequenos pedaços que ficam aderidos na película. A reflexão de luz se mantém dentro das normas de similaridade dos para-brisas dos carros.

As placas de vidro também estão recebendo adesivos com imagens para evitar a colisão das aves que voam na região.

O projeto, quando concluído, prevê também a revitalização de toda a área da Raia Olímpica, que será beneficiada com a instalação de câmeras de monitoramento, paisagismo e iluminação por LED.

O projeto é assinado pelo escritório de arquitetura Joia Bergamo. Orçado em R$ 20 milhões, está sendo custeado por mais de 40 empresas, não onerando financeiramente a Universidade.

As placas de vidro também estão recebendo adesivos com imagens para evitar a colisão das aves que voam na região – Foto Marcos Santos/USP Imagens
  • 18
  •  
  •  
  •  
  •  

Textos relacionados