Competição estimula a integração dos alunos de Engenharia da USP

Os membros da equipe vencedora ganharão um estágio de dois meses em laboratórios do exterior

Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn0Print this pageEmail
Na etapa final, os alunos foram divididos em seis grupos que, além de desenvolverem projetos na área de energia, também participaram de palestras e visitas a laboratórios da Poli – Foto: Divulgação / Escola Politécnica

A Escola Politécnica (Poli) sediou, entre os dias 11 e 15 de dezembro, a etapa final do Programa de Integração dos Estudantes de Engenharia da USP.

Criado pela Pró-Reitoria de Graduação para estimular o compartilhamento de experiências e desenvolver soluções criativas para os problemas atuais, o Programa de Integração dos Estudantes de Engenharia é uma competição entre os alunos das cinco unidades da USP que oferecem esses cursos: Escola de Engenharia de Lorena (EEL), Escola de Engenharia de São Carlos (EESC), Escola Politécnica (Poli), Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (Esalq) e Faculdade de Zootecnia e Engenharia de Alimentos (FZEA).

Na primeira etapa da competição, realizada entre agosto e outubro, as equipes enviaram vídeos de três minutos sugerindo uma solução para um problema identificado em uma fotografia da Marginal Pinheiros, em São Paulo. O grupo vencedor de cada unidade foi selecionado para participar da etapa final.

Fotografia da Marginal Pinheiros, na capital paulista, escolhida pela comissão organizadora para ser o tema da primeira fase da competição – Foto: Marcos Santos/USP Imagens

Nessa etapa, os estudantes foram reagrupados em seis grupos de cinco integrantes cada, provenientes de diferentes campi. Durante a semana, os grupos desenvolveram propostas sobre o tema “energia associada à cadeia produtiva de fertilizantes”, além de participarem de palestras, workshops e visitas a laboratórios.

Para a professora de Engenharia Química da EEL, Liana Alvares Rodrigues, “os trabalhos superaram nossas expectativas. Os estudantes evoluíram muito em pouco tempo, foram muito ativos, participativos, criaram vínculos e compartilharam experiências. Houve uma grande integração, que é o lema desse programa. Inclusive para nós, professores, que tivemos a oportunidade de conviver com nossos colegas de áreas distintas”.

A vencedora da competição foi a equipe verde, formada pelos alunos Sara Santos Pereira (EEL), Victor Ivar van Halst (EESC), Vitória Fernanda dos Santos (Esalq), Henrique Oliveira Monteiro da Silva (FZEA) e Ana Paula Velozo dos Santos (Poli). Como prêmio, os cinco estudantes da equipe receberão apoio financeiro mensal de US$ 1.200, passagem aérea e seguro saúde para fazer um estágio de até dois meses em laboratórios de pesquisa no exterior.

“Essa tem sido uma experiência muito boa, especialmente para nós, que ainda somos estudantes, termos uma noção melhor de como será nosso futuro profissional. É uma oportunidade para aprendermos a trabalhar em equipe, elaborar projetos, definir e cumprir cronogramas”, afirmou Henrique Oliveira, aluno do segundo semestre do curso de Engenharia de Biossistemas da FZEA e um dos integrantes do grupo vencedor.

Os membros da equipe vencedora ganharão um estágio de dois meses em laboratórios do exterior – Foto: Divulgação / Escola Politécnica
Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn0Print this pageEmail

Textos relacionados