Mostra Cinusp

O Cinema da USP (Cinusp) promove, de 5 de setembro a 2 de outubro, a mostra 100 Paulo Emilio, que exibirá filmes analisados pelo crítico em seus livros e artigos na imprensa, acompanhados de debates. Leia mais

 

Eventos em memória do crítico e professor da USP

Além da mostra 100 Paulo Emilio, apresentada pelo Cinema da USP (Cinusp), uma série de eventos será realizada em setembro e nos próximos meses, na cidade de São Paulo, em comemoração ao centenário do crítico de cinema e professor da USP Paulo Emilio Salles Gomes. Leia mais.

locais_eventos
.

 
 

Um perfil de Paulo Emilio

Paulo Emilio Salles Gomes (1916-1977) é conhecido, dentre outras coisas, como um intelectual, crítico, professor de cinema e fundador da Cinemateca Brasileira. Por trás de todos esses atributos está uma característica que o marcou por toda a vida: a militância. Leia mais

 
 

Cinemateca Brasileira

Em 2016, ano em que se comemora o centenário do crítico de cinema e professor da USP Paulo Emilio Salles Gomes, a Cinemateca Brasileira, um de seus grandes legados à cultura nacional, também faz aniversário. Leia mais.

.

 
 

.

Paulo Emilio professor

.

O legado de Paulo Emilio

 

Linha do tempo

Paulo Emilio imprimiu a sua paixão em livros

Não dá para entender a dimensão do cinema brasileiro sem ler 70 Anos do Cinema Brasileiro, de Paulo Emilio Salles Gomes, em parceria com o cineasta Adhemar Gonzaga. Lançado pela primeira vez em 1966 pela Editora Expressão e Cultura, é considerado um clássico da história do cinema nacional. Leia mais

 

.

Jean Vigo


.

Humberto Mauro, Cataguases, Cinearte

.

Cinema trajetória no subdesenvolvimento


.

Três mulheres de três PPPês

 

O Cinema no Século, organização Carlos Augusto Calil, Cia das Letras, 2015 – Coletânea de artigos publicados nos jornais de 1941 a 1970 sob a edição de Carlos Augusto Calil e Adilson Mendes. O livro abre o projeto de reedição da obra de Paulo Emílio pela editora.

Cemitério, Cosac Naify, 2007 – Paulo Emílio estava escrevendo o livro que alia ficção à memória política, porém morreu sem terminar. Trinta anos depois, o manuscrito foi reencontrado e organizado por Carlos Augusto Calil, que assina o posfácio.

Capitu, editora Cosac Naify, 2008 – Roteiro para cinema escrito por Paulo Emílio Salles Gomes e Lygia Fagundes Telles, com que foi casado. É uma adaptação do romance de Machado de Assis, Dom Casmurro, filmado por Paulo César Saraceni em 1968.

Três Mulheres de Três Pppês, Cosac Naify, 2007 – Três novelas que apresentam três anti-heroínas sob a livre imaginação de Paulo Emílio quando tinha 60 anos . As histórias se passam na São Paulo de 1940 e retratando elementos do cotidiano e da burguesia paulista.

Vigo, Vulgo Almereyda, Companhia das Letras, 1991 – Traz o perfil de Miguel Almereyda, pai de Jean Vigo e militante da esquerda francesa. Paulo Emílio reconstitui a trajetória de Vigo na Paris da virada do século até o seu final trágico.

Humberto Mauro, Cataguases, Cinearte, Editora Perspectiva, 1974 – A carreira do cineasta, um dos pioneiros do cinema brasileiro, é recriada por Paulo Emílio. Como bem assinalou, Alfredo Bosi, o livro traz observações agudas sobre o significado da técnica em Humberto Mauro, “que não era propriamente intelectual, mas organizadora feliz de recursos artesanais...”

Cinema, Trajetória no Subdesenvolvimento, Editora Paz e Terra, 1986 – O livro apresenta a história do cinema contextualizada com a história do Brasil. Paulo Emílio afirma que “o subdesenvolvimento não é uma fase, mas um estado de ser”.

Glauber Rocha , Editora Paz e Terra, 1977 - Paulo Emílio assina o prefácio deste livro. Traz dois artigos de críticos de cinema brasileiros e três de estrangeiros em uma análise sobre o trabalho do cineasta.