Osusp e Ocam se apresentam em São Paulo

Orquestra Sinfônica exibe Franz Schubert e Alexandre Levy; Orquestra de Câmara mostra Stravinsky e Dori Caymmi

Por - Editorias: Cultura
Compartilhar no FacebookCompartilhar no Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedInImprimir esta páginaEnviar por e-mail

A Orquestra Sinfônica da USP (Osusp) e a Orquestra de Câmara (Ocam) da USP fazem novas apresentações em São Paulo.

Sob a batuta do regente convidado Jamil Maluf e a participação do pianista Amaral Vieira, a Orquestra Sinfônica da USP executa nesta sexta-feira, dia 13, às 12 horas, na Cidade Universitária, duas obras raramente ouvidas no Brasil. A primeira é Wanderer Fantasy, op. 15, composição para piano solo composta em 1822 por Franz Schubert (1797-1828), com  adaptação para orquestra de Franz Liszt (1811-1886). A outra obra é a Sinfonia em Mi Menor, do compositor paulistano Alexandre Levy (1864-1892). O local de exibição é o auditório do Centro de Difusão Internacional (CDI) da USP (avenida Professor Lúcio Martins Rodrigues, s/nº, Cidade Universitária, em São Paulo). A entrada é grátis.

.

“São duas peças pouco conhecidas pelo público brasileiro”, observa o maestro Jamil Maluf, atual diretor artístico e regente titular da Orquestra Sinfônica de Piracicaba. “E, no entanto, são composições fundamentais. Acredito que todos vão gostar muito de ouvir e conhecer mais sobre Schubert, Liszt e Levy.”

A Orquestra de Câmara da USP vai apresentar obras de dois grandes compositores do século 20 – o russo Igor Stravinsky e o brasileiro Dorival Caymmi – nesta sexta-feira, dia 13, às 21 horas, no Auditório do Parque do Ibirapuera, em São Paulo, e na segunda-feira, dia 16, às 19 horas, no Instituto Tomie Ohtake, também em São Paulo.

Sob a regência do maestro Gil Jardim, a orquestra vai executar obras como Ragtime, Suíte No 1 para Pequena Orquestra e a Suíte Pulcinella, de Stravinsky. Em seguida, Dori Caymmi sobe ao palco para se juntar aos músicos da Ocam. Vai lembrar as canções de Dorival Caymmi, seu pai, algumas delas feitas em parceria com Tom Jobim. Dori também apresenta composições próprias ao violão, em arranjo especial criado por Gil Jardim.

“O espetáculo foi concebido a partir das exposições Picasso: Mão Erudita, Olho Selvagem e Aprendendo com Dorival Caymmi: Civilização Praieira, apresentadas no Instituto Tomie Ohtake”, explica Gil Jardim. Um dos destaques é a composição Suíte do Pescador, de Dorival Caymmi. Entre as suas canções, Dori Caymmi selecionou Rio Amazonas, Armadilhas de um Romance  e  Dança do Tucano.

O concerto da Ocam no Auditório do Parque do Ibirapuera (avenida Pedro Álvares Cabral, s/nº, portão 2) tem ingressos a R$ 20,00 (meia: R$ 10,00). O concerto no Instituto Tomie Ohtake (rua dos Coropés, 88, em Pinheiros) é gratuito.

Compartilhar no FacebookCompartilhar no Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedInImprimir esta páginaEnviar por e-mail

Textos relacionados