Mostra do Cinusp apresenta panorama do cinema da Grécia

Filmes gregos que têm como temática a ruína familiar serão exibidos entre os dias 3 e 23 de outubro, na Cidade Universitária e no Centro Universitário Maria Antonia

Por - Editorias: Cultura
Compartilhar no FacebookCompartilhar no Google+Tweet about this on TwitterImprimir esta páginaEnviar por e-mail
L, Direção Babis Makridis - Foto: Divulgação/Cinusp
L, com direção de Babis Makridis, um dos filmes presentes na mostra do Cinusp – Foto: Divulgação/Cinusp

.
O drama de ruínas familiares – uma das temáticas que ganharam destaque no teatro grego na Antiguidade – foi mantido no cinema da Grécia contemporânea. Isso poderá ser observado na mostra Cinema Grego – Família e Ruína, que o Cinema da USP (Cinusp) Paulo Emílio apresenta entre os dias 3 e 23 de outubro. “É uma mostra que tenta dar um panorama do cinema grego, com ênfase na temática da família. Esse tema sempre foi muito abordado no cinema da Grécia”, explica Renato Trevisano, do Cinusp, responsável pela mostra. “A ideia de desconstrução do laço familiar e da exposição das relações problemáticas sempre foi muito trabalhada pelos gregos.”

Entre os destaques da mostra estão os filmes Alpes (Alps, 2012) e Dente Canino (Dogtooth, 2009), de Yorgos Lanthimos, representante da chamada “estranha onda grega” ― nome dado pelo jornal inglês The Guardian ao conjunto de cineastas gregos da nova geração que se notabilizaram por filmes com diálogos até mesmo cômicos de tão absurdos, protagonistas alienados e fotografia pálida. “A estranha onda grega é uma das formas de cinema contemporâneo. São filmes bem questionadores a toda a influência política da família. Existe a crítica a esse lado mais violento do laço familiar. Isso também tem muita relação com o momento de crise que a Grécia vive”, afirma Trevisano.

Vencedor do prêmio Un Certain Regard no Festival de Cannes, Dente Canino narra a tragédia de uma família com pais controladores e suas relações com os filhos. Já Alpes se refere a um grupo de pessoas que trabalham com famílias que perderam entes queridos, assumindo o papel destes.

Outra obra a ser exibida na mostra do Cinusp é Electra, a vingadora (Ilektra, 1962), de Michael Cacoyannis, que transpõe uma história clássica da tragédia helênica para o mundo das películas. Do cineasta Theodoros Angelopoulos, que com seus filmes levou as produções do país a festivais internacionais, a mostra vai exibir A Eternidade e um Dia (Mia aioniotita kai mia mera, 1998), que levou a Palma de Ouro no Festival de Cannes no final dos anos 1990.

slide
Electra, a Vingadora, direção Mihalis - Foto Divulgação/Cinusp
slide
Attenberg, direção Athina Rachel Tsangari - Foto: Divulgação/Cinusp
slide
Nunca aos domingos, direção Jules Dassin - Foto: Divulgação/Cinusp
slide
Stella, direção Mihalis Kakogiannis - Foto: Divulgação/Cinusp
slide
L, Direção Babis Makridis - Foto: Divulgação/Cinusp
slide
Dente Canino, direção Yorgos Lanthimos - Foto: Divulgação/Cinusp
slide
Reconstituição, direção Theodoros Angelopoulos - Foto: Divulgação/Cinusp
slide
Paisagen na Neblina, Direção Theodoros Angelopoulos - Foto: Divulgação/Cinusp
slide
A eternidade e um dia, direção Theodoros Angelopoulos - Foto: Divulgação/Cinusp
Prev
Next

.

A mostra Cinema Grego – Família e Ruína será realizada de 3 a 23 de outubro, de segunda a sexta-feira, às 16 e às 19 horas no Cinema da USP (Cinusp) Paulo Emílio da USP (Rua do Anfiteatro, 181, Colmeias, Favo 4, Cidade Universitária, São Paulo). Aos sábados, às 16h, 18h e 20h, e aos domingos, às 18h e às 20h, as sessões serão no Centro Universitário Maria Antonia (Ceuma) da USP (Rua Maria Antonia, 294, Vila Buarque, São Paulo). Entrada grátis. Mais informações e a programação completa da mostra podem ser obtidas na página eletrônica do Cinusp (www.usp.br/cinusp).

Compartilhar no FacebookCompartilhar no Google+Tweet about this on TwitterImprimir esta páginaEnviar por e-mail

Textos relacionados