Mostra cultural da USP premia alunos artistas

Música popular e erudita encerraram no dia 15 de setembro a programação da 24ª edição do Programa Nascente, que contemplou trabalhos de estudantes da Universidade em sete áreas artísticas

Por - Editorias: Cultura
Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn0Print this pageEmail
Foto: Camila Previato
Foto: Camila Previato

Criado em 1990, o Programa Nascente promoveu neste mês a Festa de Premiação da sua 24ª edição, que recebeu 619 inscrições – o maior número de inscritos desde a primeira edição –, em sete áreas artísticas: Artes Cênicas, Artes Visuais, Design, Audiovisual, Música Erudita, Música Popular e Texto.

O Teatro da USP (Tusp) abriu as apresentações dos finalistas em Artes Cênicas no dia 9 de setembro. A exposição Visualidade Nascente, que exibe os trabalhos de Artes Visuais, Audiovisual e Design, foi aberta no dia 12, no Centro Universitário Maria Antonia (Ceuma) da USP, e segue até o dia 17 de outubro, com visitação gratuita. O sarau com os trabalhos da categoria Texto foi apresentado no Centro de Difusão Internacional da USP (CDI), no dia 14, e as categorias Música Erudita e Música Popular encerraram as apresentações, também no CDI, no dia 15. O Programa Nascente é promovido pela Pró-Reitoria de Cultura e Extensão Universitária (PRCEU) da USP.

Apesar de a maioria dos participantes do Nascente ser de alunos de cursos relacionados às artes – em especial os oferecidos na Escola de Comunicações e Artes (ECA), na Faculdade de Arquitetura e Urbanismo (FAU) e na Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH) –, todos os anos diversos inscritos surpreendem por sua origem acadêmica improvável.

Neste ano, por exemplo, destacaram-se os alunos Daniel Cukier, finalista da área de Música, que se apresentou com a Valsa do Empreendedor e cativou a plateia na festa de premiação, e Filipe Albuquerque Russo, menção honrosa na categoria Texto com o trabalho Asfixia, ambos estudantes do Instituto de Matemática e Estatística (IME).

A professora Carmem Aranha, curadora e jurada da categoria Artes Visuais, destacou o volume de trabalhos inscritos. “No começo, a quantidade foi uma coisa avassaladora e os nossos critérios foram ficando mais claros à medida que nós fomos segregando as linguagens”, explica.

Artes Visuais recebeu cerca de 180 trabalhos e, após uma seleção prévia, o professor João Luiz Musa propôs aos outros jurados um encontro com os artistas finalistas e seus trabalhos. A partir dessa conversa, uma nova seleção foi feita para chegar aos premiados.

Foto: Camila Previato
Foto: Camila Previato

“O Nascente, assim, tem também o compromisso em proporcionar a experiência artística na divulgação da obra de arte, pensando a sua interação com o espaço e com outras obras e como meio de formação”, explica Musa, com relação às especificidades do Programa Nascente.

“Antes de definir o vencedor, é importante destacar que o prêmio do Programa Nascente estimula a participação dos estudantes a desenvolverem uma experiência artística. Os critérios artísticos não são 100% objetivos e isso dá a oportunidade de olharmos como o trabalho nos sensibilizou ao percebermos que tem algo que é anterior à avaliação, é saber como aquilo chegou a nós”, explica a professora Bete Dorgam, jurada de Artes Cênicas.

O professor Felisberto Sabino da Costa, também jurado da categoria, completa: “É importante ressaltar que já havia visto os três trabalhos no início da produção e, desse tempo para cá, percebemos uma grande evolução”.

Qualidade estética, originalidade, enredo e repertório cultural foram alguns dos critérios utilizados pelos jurados da categoria Texto para julgar os mais de 320 trabalhos recebidos. “Notamos que tem, de fato, gente muito boa e valeria a pena que muitos desses trabalhos fossem publicados”, realça o professor Jean Pierre Chauvin, jurado da categoria.

A professora Lucilene Cury, coordenadora acadêmica do programa, realça a excelência dos trabalhos e os possíveis desdobramentos: “Esta edição representa um pouco da excelência dos trabalhos produzidos. Vimos muitas coisas boas e pretendemos possibilitar que os vencedores se apresentem em novos eventos”.

“Em 24 anos de programa, não foram poucos os que participaram dessa oportunidade não só de receber uma premiação e de ganhar visibilidade para seus trabalhos, mas também de efetivamente se integrar no mundo acadêmico com atividades que vão muito além de aulas, trabalhos e pesquisas”, enfatiza o pró-reitor de Cultura e Extensão Universitária, professor Marcelo de Andrade Roméro.

 

Arte de estudantes

Confira os vencedores da 24ª Edição do Programa Nascente

ARTES CÊNICAS

Maíra do Nascimento Azevedo (.Dentro)

ARTES VISUAIS

Alan Oju (Janelas)

Renato Pera (Mostruário São Paulo)

AUDIOVISUAL

Bárbara Framil (Anomalia)

Francisco Miguez (Apito do Apito)

DESIGN

Erika Tracy Huang, Marcus Vinicius Morgado, Michelle Nakazato Mikaro e Rafael Jun Abe (Elorgân)

Agnes Aragaki Svilenov, Kaori Anraku, Nadia Naomi Sato (Entre Ruas)

MÚSICA ERUDITA

Carlos Vogt (L’isle Joyeuse – C. Debussy)

Patricia Pérez Brito (Sequenza IXa para clarinete solo –Luciano Berio)

MÚSICA POPULAR

Vinicius Faina Alves e Camila Mendes Montefusco (A Alma Feminina em Chico Buarque)

TEXTO

Ranny Cabrera (Aporismos)

Sidnei Xavier dos Santos (Adão desdenha o paraíso)

 

ELCIO SILVA E TERESA ESPALLARGAS

Especial para o Jornal da USP

 

Leia também:

Alunos destacam oportunidade oferecida pelo programa

Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn0Print this pageEmail

Textos relacionados