Morte de Sábato Magaldi é comentada por Celso Frateschi na Rádio USP

Crítico teatral, que morreu no dia 14 de julho, foi fundamental para o teatro brasileiro ser o que é hoje, afirma o ator e professor da Escola de Arte Dramática da USP

Sábato Magaldi, em 2000 - Foto: Osvaldo J. Santos/Arquivo Jornal da USP
Sábato Magaldi, em foto de 2000 – Foto: Osvaldo J. Santos/Arquivo Jornal da USP

O ator Celso Frateschi, professor da Escola de Arte Dramática (EAD) da Escola de Comunicações e Artes (ECA) da USP, falou à Rádio USP (93,7 MHz) sobre a morte do crítico de teatro Sábato Magaldi, ocorrida no dia 14 de julho.

Em entrevista no programa “Via Sampa”, apresentado por Miriam Ramos, no dia 15, Frateschi lembrou a importância de Magaldi para o teatro brasileiro. “Ele foi fundamental para sermos o que somos hoje”, disse Frateschi. Como exemplo, ele citou os conselhos de Magaldi para que a direção do Teatro de Arena contratasse Augusto Boal (1931-2009), nos anos 50. “O Boal entrou no Teatro de Arena e aconteceu tudo o que aconteceu no teatro brasileiro.”

Celso Frateschi - Foto: Cecília Bastos/USP Imagens
Celso Frateschi – Foto: Cecília Bastos/USP Imagens

Ainda na entrevista, Frateschi lamentou que a crítica teatral não disponha hoje de nomes como Magaldi, Décio de Almeida Prado (1917-2000) e Anatol Rosenfeld (1912-1973). A rigorosa e “propositiva” crítica de Magaldi, permeada pela importância que atribuía ao teatro como fenômeno humano, constituía uma grande contribuição para os atores, acrescentou. “As discussões que Magaldi provocava eram de uma vibração criativa que hoje a gente não vê mais na crítica”, analisou o ator. O que predomina atualmente na crítica teatral, segundo Frateschi, é “um comentário frio, esnobe, pedante, arrogante”, baseado em “informações que o crítico pega no Google de última hora”.

Nascido em Belo Horizonte (MG) em 9 de maio de 1927, Sábato Magaldi foi professor titular de História do Teatro Brasileiro da ECA.

Exerceu o cargo de secretário municipal de Cultura de São Paulo, na gestão de Olavo Egydio Setúbal, entre 1975 e 1979. Editor das obras completas do dramaturgo Nelson Rodrigues (1912-1980), publicou, entre várias outras obras, Cem Anos de Teatro em São Paulo, Panorama do Teatro Brasileiro e Moderna Dramaturgia Brasileira.

Magaldi era membro da Academia Brasileira de Letras (ABL) e foi professor visitante nas Universidades de Paris III e de Provence, ambas na França.

Leia artigo de Jacó Guinsburg sobre Sábato Magaldi neste link:

Teatro brasileiro em nova chave – Sábato Magaldi

Ouça a seguir a íntegra da entrevista do ator e professor Celso Frateschi sobre a morte de Sábato Magaldi, no programa “Via Sampa”, da Rádio USP, no dia 15 de julho, apresentado por Miriam Ramos.

 

logo_radiousp

Textos relacionados