Livro traça o panorama dos indígenas na América Latina

Obra é fruto de debates realizados em 2017 pela Cátedra José Bonifácio do Centro Ibero-Americano da USP

Por - Editorias: Cultura
Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn0Print this pageEmail
Mapa Universalis Cosmographia (1507), em que aparece pela primeira vez o nome “América” para denominar a região recém-descoberta, em homenagem ao navegador italiano Américo Vespúcio – Mapa: Martin Waldseemüller / Library of Congress / Domínio públicovia Wikimedia Commons

A Editora da USP (Edusp) lançou nesta segunda-feira, dia 16, o livro O Mundo Indígena na América Latina – Olhares e Perspectivas. A publicação reúne análises sobre os povos indígenas da região, escritas por professores, pesquisadores e estudantes de pós-graduação da USP e de outras instituições latino-americanas.

O volume é resultado dos debates organizados pela Cátedra José Bonifácio em 2017, sob coordenação da socióloga, diplomata e política mexicana Beatriz Paredes. Essa é a quinta obra lançada pela cátedra, que é vinculada ao Centro Ibero-Americano (Ciba), órgão ligado à Pró-Reitoria de Pesquisa e ao Instituto de Relações Internacionais (IRI) da USP. Também nesta segunda-feira, dia 16, Beatriz Paredes passou a titularidade da cátedra para a ex-presidente da Costa Rica, Laura Chinchilla (leia mais aqui).

Com coordenação de Beatriz Paredes e organização do assessor internacional da USP Gerson Damiani, do professor da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) Wagner Pinheiro Pereira e da antropóloga e coordenadora do Programa de Becas de Posgrado para Indígenas do Centro de Investigaciones y Estudios Superiores en Antropología Social (Ciesas) do México, María Antonieta Gallart Nocetti, a publicação é estruturada em três partes.

A primeira agrega contribuições de professores e pesquisadores de longa trajetória, com textos de autores de várias nacionalidades. Pereira escreve sobre a representação dos povos ameríndios e da tomada europeia do continente na historiografia e no cinema. Já o embaixador do Peru no Brasil, Vicente Rojas Escalante, faz uma breve recapitulação da história dos incas. Para falar da autonomia regional e da realidade indígena na Bolívia, é convocado o ex-presidente Carlos Mesa. A seção traz ainda a íntegra de Apontamentos para a Civilização dos Índios Bravos do Império do Brasil, texto apresentado em 1823 por José Bonifácio à Assembleia Constituinte do então recém-independente País.

A diplomata mexicana Beatriz Paredes Rangel, que nesta segunda-feira, dia 16, passou a titularidade da Cátedra José Bonifácio da USP para a ex-presidente da Costa Rica, Laura Chinchilla – Foto: Cecília Bastos/USP Imagens

Na segunda parte, juntam-se ao volume textos de jovens pesquisadores e estudantes de pós-graduação, integrantes do grupo de pesquisa da cátedra. Conforme é assinalado na apresentação do livro, os assuntos abordados nos artigos “refletem o esforço realizado pelos pesquisadores na análise e reflexão sobre temas relacionados às várias dimensões da presença indígena no continente americano”.

Consta aí um estudo sobre as alegorias dos indígenas presentes no filme A Idade da Terra, de Glauber Rocha, assinado por Quezia Brandão. Em outro artigo, Douglas Gregorio Miguel fala sobre a cosmovisão indígena e sua relação com a oralidade e a escrita. Segue também uma análise do indígena no contexto urbano, com enfoque em São Paulo, de autoria de Kelly Komatsu Agopyan.

O livro lançado pela Editora da USP – Foto: Reprodução

A terceira parte traz uma longa entrevista com Beatriz Paredes, concedida ao professor do IRI e coordenador do Ciba Pedro Dallari. Na conversa, a ex-governadora, ex-senadora, ex-deputada mexicana e ex-embaixadora do México no Brasil fala sobre suas reflexões e iniciativas ao longo de um ano de trabalho na cátedra.

“Nós temos a extraordinária identidade da cultura, que o tempo mostrou ser a identidade mais poderosa”, comenta Beatriz na entrevista. “Inclusive, a identidade da cultura é muito mais forte que os laços econômicos, geralmente muito mais imediatistas. Nesse sentido, a articulação e a colaboração entre a Península Ibérica e a América Latina me parece indispensável. E parece que favorece ambas as regiões: temos a identidade cultural, compartilhamos as duas línguas, o espanhol e o português; creio que em matéria de colaboração acadêmica e científica, há um enorme caminho a percorrer.”

O lançamento do livro aconteceu nesta segunda-feira, dia 16 de abril, ao meio-dia, na Livraria João Alexandre Barbosa, no Complexo Brasiliana da USP, na Cidade Universitária.

O Mundo Indígena na América Latina – Olhares e Perspectivas, de Beatriz Paredes (coordenação). Editora da USP (Edusp), 544 páginas, R$ 58,00.

Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn0Print this pageEmail

Textos relacionados