Exposições marcam reabertura do Edifício Joaquim Nabuco

Seis mostras comemoram reinauguração do prédio que faz parte do Centro Universitário Maria Antonia

Por - Editorias: Cultura
Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn1Print this pageEmail
O Edifício Joaquim Nabuco, no Centro Universitário Maria Antonia da USP – Foto: Cecília Bastos/USP Imagens

.
”Trata-se de mais um espaço importante para a difusão da arte e da cultura, localizado no centro de São Paulo, local de fácil acesso.” Assim o professor José Nicolau, vice-diretor do Centro Universitário Maria Antonia (Ceuma) da USP, comenta a importância da reinauguração do Edifício Joaquim Nabuco, que ocorrerá nesta terça-feira, dia 17, às 19 horas.

Parte integrante do conjunto de prédios que formam o Ceuma – construídos na década de 1930 -, o Edifício Joaquim Nabuco foi adquirido pela USP em 1949. Passados 23 anos, o espaço foi vendido à Secretaria da Fazenda do Estado de São Paulo, para uso da Junta Comercial. Foi apenas em 1998 que a USP passou a ter o direito de reutilizar o prédio. As reformas passaram a ocorrer em 2000 e nesta terça-feira, após 17 anos, o Edifício Joaquim Nabuco será reaberto.

Na ocasião, seis exposições produzidas por professores, alunos e parceiros da USP poderão ser vistas pelo público. São elas: Experimento, Encyclopædia, Papyrus Textil, Simplex Machina, Pina in Memoriam e Re Vou Ver. 

Em Experimento, da artista Anita Colli, esculturas feitas com objetos laboratoriais dialogam com artefatos domésticos, a fim de afastá-los de seus usos comuns. ”São todos materiais simples, mas que dizem respeito ao meu interior. Dentro dos frascos, coloquei palavras que me dizem algo e trazem um significado forte”, revela Anita.

Em Experimento, a artista Anita Colli dá novo significado a objetos de laboratório – Foto: Marcos Santos/USP Imagens

.
Feres Khoury, autor de Encyclopædia, também recorre à manipulação de estruturas, como um dicionário de latim, para transformá-las em gerador de conhecimento. Papyrus Textil, de Eunice Lui, decorre de uma tese de doutorado e focaliza as questões que envolvem o papel no processo da execução de ideias. Em Simplex Machina, alunos de Design da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo (FAU) da USP lidaram com estruturas cinéticas responsáveis por transformar os ambientes dos quais fazem parte. Por sua vez, Pina in Memoriam traz pinturas de Helmut Schippers para homenagear a bailarina Pina Bausch (1940-2009), num contato entre a pintura e a dança-teatro.
A exposição Re Vou Ver, que já estava em cartaz, mas agora tem nova curadoria, exibirá o documentário A Batalha da Maria Antonia, sobre o conflito ocorrido em 3 de outubro de 1968, entre estudantes esquerdistas da Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras (FFCL) da USP – então instalada no prédio hoje ocupado pelo Ceuma – e estudantes de direita da Universidade Mackenzie, localizada em frente. O conflito resultou na morte de um estudante secundarista.

A inauguração do Edifício Joaquim Nabuco será nesta terça-feira, dia 17, às 19 horas, no Centro Universitário Maria Antonia (Ceuma) da USP (Rua Maria Antonia, 294, Vila Buarque, São Paulo). As exposições podem ser visitadas até 28 de janeiro de 2018, de terça a domingo e feriados, das 10 às 18 horas. Entrada grátis. Mais informações podem ser obtidas na página eletrônica http://mariantonia.prceu.usp.br e pelos telefones (11) 3123-5234 e 3123-5231.

Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn1Print this pageEmail

Textos relacionados