Em comemoração aos 50 anos, Coralusp promove seu 12º Festival

Até 11 de junho, vários grupos vocais vão apresentar diferentes ritmos em evento na Cidade Universitária

Por - Editorias: Cultura
Compartilhar no FacebookCompartilhar no Google+Tweet about this on TwitterImprimir esta páginaEnviar por e-mail
50 anos de história — Coralusp é o maior projeto de extensão cultural da Universidade – Foto: Divulgação/Assessoria do Coralusp

.
Música boa cantada a muitas vozes. O 12º Festival Coralusp, iniciativa do Coral Universidade de São Paulo (Coralusp), acontecerá entre os dias 5 e 11 de junho, no auditório do Centro de Difusão Internacional (CDI) da USP. Com a participação de diversos coros da Universidade e outros grupos convidados, o objetivo é reunir e promover o máximo de interação entre os participantes da comunidade como um todo. O evento vai comemorar os 50 anos do Coralusp, maior projeto da Pró-Reitoria de Cultura e Extensão.

O evento chega à sua 12ª edição com a proposta de apresentar as “pratas da casa”. Todos os grupos convidados que se apresentarão ao longo da semana possuem membros e regentes que têm parte de sua formação musical ligada ao Coral. O repertório diversificado, durante os sete dias, levará o público numa viagem que vai do samba de roda à música clássica.

Fundado em junho de 1967, atualmente o Coralusp conta com cerca de 500 membros — dentre eles, alunos, professores e funcionários da USP, além de uma grande porcentagem de pessoas não vinculadas à Universidade. Atingindo o propósito de extensão, o projeto fornece oportunidades que vão muito além do canto, como aulas de técnicas vocais, percepção e arranjo. Existem ainda as performances gratuitas do coro, feitas normalmente a céu aberto.

“Ao longo desses 50 anos, muitos alunos de diversos cursos entraram no Coralusp e abandonaram suas antigas atividades para se tornarem músicos. Nosso coral serviu como eixo de modificação para a vida de muitas pessoas!”, comenta Eduardo Fernandes, regente e curador do festival.

É tempo de coral

O Grupo XI de Agosto é uma das atrações da quarta-feira, dia 7 de junho – Foto: Divulgação / Assessoria do Coralusp

.
No primeiro dia de festival, a aposta fica por conta da formação artística dos mais jovens. Sob a regência de Vera Novack e com coletânea variada, haverá a apresentação de um grupo de alunos de uma escola da zona norte paulistana. Além dos meninos e meninas, outros coros irão cantar homenagens ao Clube da Esquina, movimento musical mineiro da década de 1960.

No dia 6, o clássico visita o festival. A terça-feira será destinada à música erudita, com participação do regente Nibaldo Araneda. À frente do Collegium Musicum, Araneda é ex-estudante da Escola Politécnica, um exemplo das mudanças que o Coralusp motivou na vida de personalidades.

A quarta-feira, 7, é dia de cantata. O grupo Azul do Coralusp, regido por André Juarez, é responsável por fazer uma viagem musical brasileira. Passando por 12 ritmos diferentes, o coro cantará samba de roda, maracatu, frevo e outros balanços. O tributo nacional continua na quinta-feira, 8, com novas homenagens às esquinas de Minas, no coro Mosaico.

Na sexta-feira, 9, o evento recebe a visita do Coral Masculino de Alumínio. Sob a regência de Marcelo Recski, o grupo independente do interior paulista é formado exclusivamente por operários de fábricas do município. Antes patrocinados, os trabalhadores não submeteram o desejo de cantar aos problemas financeiros e continuaram com as atividades do grupo, mesmo quando o patrocínio foi cortado.

O 12º ano do Festival Coralusp será fechado com chave de ouro. No sábado, dia 10, o Coral da Pontifícia Universidade Católica (Cuca) abrirá o fim de semana com um repertório variado. A atração fica por conta de seu regente, Renato Lopes, participante do Coralusp na década de 1970, no grupo chamado Coral Universitário Poli-Enfermagem.

O domingo, dia 11, último dia de festival, vai contar com a presença de todos os grupos do Coralusp, em uma apresentação com músicas do arranjador Damiano Cozzela. Cada coral irá apresentar uma obra do músico e, depois, todos os corais juntos cantarão cinco partes da cantata de André Juarez, lançada na quarta-feira.

Também no domingo, o trabalho de Cozzela será homenageado com o lançamento do livro Arranjos Corais de Damiano Cozzela, pela Editora da USP (Edusp). Em 360 páginas, o volume conta com 50 arranjos do professor.

“Esse fato é muito importante, porque foi da parceria Cozzela e Coralusp que nasceu o primeiro arranjo de música popular urbana para coro. Um grande diferencial do projeto, criado em 1967, foi que ele acompanhou o surgimento de diversos gênios da música nacional, como Chico Buarque, Gilberto Gil, Caetano Veloso, Milton Nascimento e Edu Lobo, na época dos Festivais da Canção”, completa Fernandes.

O 12º Festival Coralusp acontecerá de 5 a 11 de junho, no Auditório do Centro de Difusão Internacional (CDI) da USP (Avenida Professor Lúcio Martins Rodrigues, s/n, Cidade Universitária, São Paulo). Entrada franca. A programação completa do evento está disponível aqui (http://www.coralusp.prceu.usp.br/?event=12o-festival-coralusp).

Compartilhar no FacebookCompartilhar no Google+Tweet about this on TwitterImprimir esta páginaEnviar por e-mail

Textos relacionados