Edusp lança a Biblioteca Durkheimiana

Três livros abrem a nova coleção da Editora da USP, que será apresentada no dia 10 de dezembro, na Livraria da Vila, em São Paulo

Por - Editorias: Cultura
Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn0Print this pageEmail
20161205_00_C-Durkheimiana
Os livros que inauguram a coleção Biblioteca Durkheimiana, da Edusp – Foto: Reprodução

00_zero
.
Biblioteca Durkheimiana é o nome da coleção que a Editora da USP (Edusp) vai lançar no dia 10 de dezembro, sábado, às 15 horas, na Livraria da Vila, em São Paulo. No lançamento da coleção, serão apresentados três livros: O Individualismo e os Intelectuais, de Émile Durkheim, Estudo Sumário da Representação do Tempo na Religião e na Magia, de Henri Hubert, e Como as Palavras Mudam de Sentido, de Antoine Meillet. O objetivo da nova série de publicações é “promover uma reflexão crítica acerca da Escola Sociológica Francesa”, afirmam os coordenadores da coleção, Rafael Faraco Benthien e Raquel Weiss, na nota introdutória.

20161205_01_durkheim
O sociólogo francês Émile Durkheim – Foto: Reprodução

Com esse objetivo em vista, os livros não reproduzem apenas o texto de autores ligados àquela escola, fortemente marcada pela obra do sociólogo francês Émile Durkheim (1858-1917). Mais do que isso, cada volume é bilíngue – uma tradução para o português inédita acompanha o original francês –, traz artigos de especialistas e ainda oferece, em anexo, textos, resenhas e cartas relacionadas ao autor, além de uma biobibliografia e de uma iconografia. “Importa aqui, sobretudo, fugir da ideia de um texto unívoco, sedimentado na voz traduzida do autor e, enfim, ‘clássico’”, explicam os coordenadores. “Afinal, nada mais perigoso para as ciências sociais que a celebração de uma tradição que vende fórmulas prontas para serem aplicadas.”

O sociólogo e professor da USP Sergio Miceli – que assina a apresentação da coleção – destaca como “digna de nota” a atenção dada a integrantes menos conhecidos da Escola Sociológica Francesa. “Embora reconhecessem Émile Durkheim como patrão e patrono, os durkheimianos lograram posição destacada no seio da universidade francesa da época por meio de um trabalho coletivo, dimensão a ser resgatada, em vez da redução frequente desse experimento intelectual aos chefes de escola”, escreve Miceli. “Evocar novos nomes, bem como trazer à tona outras facetas das figuras já conhecidas, permitirá certamente uma visão mais abrangente e circunstanciada do grupo e de seus integrantes.”

A Biblioteca Durkheimiana é uma iniciativa do Centro Brasileiro de Estudos Durkheimianos (www.durkheim-br.org).

A coleção Biblioteca Durkheimiana, da Editora da USP (Edusp), será lançada no dia 10 de dezembro, das 15h às 18h, na Livraria da Vila (Rua Fradique Coutinho, 915, Pinheiros, São Paulo). 

Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn0Print this pageEmail

Textos relacionados