Editora da USP ganha Prêmio Jabuti em duas categorias

É a primeira vez que a Edusp conquista a honraria na categoria “Gastronomia“ e a segunda em “Comunicação“

Por - Editorias: Cultura
Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn0Print this pageEmail
Livros da Edusp, ganhadores do Prêmio Jabuti - Foto: Marcos Santos/USP Imagens
Livros da Edusp ganhadores do Prêmio Jabuti 2016 – Foto: Marcos Santos/USP Imagens

Dois livros publicados pela Editora da USP (Edusp) foram contemplados com o Prêmo Jabuti 2016, que será entregue no dia 24 de novembro, em cerimônia no Auditório Ibirapuera, em São Paulo. Os livros são Cozinha e Indústria em São Paulo – Do Rural ao Urbano, da pesquisadora Maria Cecília Naclério Homem, do Instituto de Estudos Brasileiros (IEB), que ficou em segundo lugar na categoria “Gastronomia”, e Incômodos Best-Sellers, USA – Publicidade, Consumo e seus Descontentes, do professor José Carlos Garcia Durand, da Escola de Artes, Ciências e Humanidades (EACH), que conquistou o terceiro lugar na categoria “Comunicação”.

“Essa premiação mostra a diversidade do nosso catálogo“, comemora a chefe da Divisão Editorial da Edusp, Cristiane Silvestrin. Ela chama a atenção para o fato de que é a primeira vez que a Editora da USP é contemplada na categoria “Gastronomia“. Na categoria “Comunicação“, esta é apenas a segunda vez que a Edusp ganha o Jabuti, quase 20 anos depois de ter sido premiada com o livro Jornalismo Econômico, de Bernardo Kucinski, em 1999. “São duas áreas muito importantes“, considera Cristiane. “É muito honroso, para nós, ganhar o Jabuti nessas categorias.“

Foto: Marcos Santos/USP Imagens
Foto: Cristiane Silvestrin, chefe da Divisão Editorial da Edusp – Marcos Santos/USP Imagens

Cozinha e Indústria em São Paulo – Do Rural ao Urbano acompanha as transformações do ato de comer e da comensalidade, causadas pelo impacto das novas tecnologias e das mudanças socioeconômicas e políticas no Brasil. Ele começa com o retrato das cozinhas rurais e sua dinâmica de funcionamento para a produção dos alimentos. Em seguida, aponta as consequências, nos lares paulitas, da prosperidade trazida pelo cultivo de café e da cana-de-açúcar, pelo surgimento da indústria e pelo desenvolvimento urbano. No período entre-guerras, os eletrodomésticos ganham espaço e instaura-se a mecanização da cozinha, o que resulta na lenta diminuição da dependência de empregados domésticos. O livro analisa também as modernas cozinhas “inteligentes“.

Incômodos Best-Sellers, USA – Publicidade, Consumo e seus Descontentes narra a formação e a consolidação da publicidade nos Estados Unidos. O autor intercala a análise das várias etapas que compõem a história política, econômica e sociocultural norte-americana com o exame de livros que “incomodaram” a comunidade de negócios e a liderança publicitária desde o fim do século 19, que denunciavam os efeitos nocivos do excesso de publicidade e de consumo.

Outras obras premiadas

Além dos dois livros publicados pela Edusp, outras sete obras de autoria de professores da USP foram contempladas pelo Prêmio Jabuti.

Conquistaram o primeiro lugar, em suas categorias, os livros Histórias Mestiças – Catálogo, da professora Lilia Moritz Schwarcz, da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH), em parceria com Adriano Pedrosa; Flores, Votos e Balas, de Angela Maria Alonso, também da FFLCH; Redesenhando o Desenho – Educadores, Política e História, de Ana Mae Tavares Bastos Barbosa, da Escola de Comunicações e Artes (ECA); e Operações Unitárias na Indústria de Alimentos, de Carmen Cecilia Tadini e Pedro de Alcântara Pessoa Filho – ambos da Escola Politécnica –, em parceria com Vânia Regina Nicoletti e Antonio José de Almeida Meirelles. As categorias em que esses livros foram premiados são, respectivamente, “Arquitetura, Urbanismo, Artes e Fotografia”, “Ciências Humanas“, “Educação e Pedagogia” e “Engenharias, Tecnologias e Informática”.

Dois livros de professores da USP ficaram em segundo lugar em suas categorias. Eles são: Comunicação, Mediações, Interações, da professora Lucrécia D’Alessio Ferrara, da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo (FAU), na categoria “Comunicação”, e Mal-Estar, Sofrimento e Sintoma, do professor Christian Ingo Lenz Dunker, do Instituto de Psicologia (IP), na categoria “Psicologia, Psicanálise e Comportamento”

Finalmente,  o livro Argumentação, do professor José Luiz Fiorin, da FFLCH, ficou em terceiro lugar na categoria “Teoria/Crítica Literária, Dicionários e Gramáticas”.

Concedido desde 1958 pela Câmara Brasileira do Livro (CBL), o Prêmio Jabuti – que neste ano chega à 58ª edição – é o mais tradicional prêmio do livro no Brasil. Anualmente, mais de 2 mil obras são avaliadas por especialistas, em 27 categorias. Os três livros que recebem a maior pontuação dos jurados em cada categoria são considerados vencedores.

A lista completa dos vencedores do 58º Prêmio Jabuti está disponível no endereço eletrônico www.premiojabuti.org.br.

Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn0Print this pageEmail

Textos relacionados