Dirigentes de Cultura do Estado de São Paulo fundam entidade

Criação da associação ocorreu em 22 de setembro, na Biblioteca Brasiliana Guita e José Mindlin da USP

Por - Editorias: Cultura
Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn10Print this pageEmail
O professor Luís Milanesi, da Escola de Comunicações e Artes (ECA) da USP, dá apoio à nova entidade – Foto: Maria Leonor de Calasans / IEA

Setenta e quatro dirigentes municipais de Cultura estiveram presentes no auditório da Biblioteca Brasiliana Guita e José Mindlin da USP, no dia 22 de setembro, para a criação da Associação dos Dirigentes Municipais de Cultura (Adimc). A entidade pretende reunir secretários de Cultura de todo o Estado.

Segundo o professor da Escola de Comunicações e Artes (ECA) da USP Luís Milanesi, o surgimento da associação é fruto de dois seminários organizados pela escola, o último deles chamado A Cultura em Tempo de Crise. Neles, a proposta de uma entidade foi discutida e, a partir daí, foi constituído um grupo de trabalho para traçar as bases de seus estatutos. A USP forneceu apoio logístico para as reuniões do grupo e para o estabelecimento da comunicação com Secretarias de Cultura de centenas de municípios.

“A nossa Adimic chega em boa hora”, comenta o presidente do conselho gestor da entidade e secretário da Cultura de Botucatu, Antônio Luiz Caldas Filho. “Vivemos momentos muito difíceis no Brasil e a cultura, como política pública, acaba sofrendo de modo redobrado os efeitos da crise. A Adimc, no contrafluxo desse clima negativo geral, vem justamente para mobilizar, fortalecer e potencializar as ações dos dirigentes de cultura nos municípios.”

De acordo com Caldas, as primeiras atividades da entidade estão concentradas na ampliação de seu quadro de associados e em sua conformidade legal. “Ao longo do tempo”, explica, “a entidade, além das atividades referidas de organização e representação, deverá cooperar com os associados na formação de recursos humanos, de educação permanente, na divulgação de ações e políticas sociais, na defesa do patrimônio cultural, na realização de cursos e estudos.”

O secretário afirma ainda que a associação ajudará os municípios a cumprirem o “dever do Estado” em todas as suas esferas de ação. Para Caldas, “a capilaridade da esfera de governo municipal, situado diretamente ao lado das pessoas, dá ao município o papel preferencial como centro ordenador e articulador das ações culturais”. Ele cita como focos de atenção não apenas “expressões de excelência, tecnicamente estruturadas”, mas também “a face mais popular da cultura, fazendo borbulhar sua dimensão social, inclusiva”.

Além do corpo principal de associados, composto de secretários, diretores e coordenadores de cultura dos municípios, indicados pelos prefeitos, o estatuto da Adimc prevê também a categoria de associados solidários, ex-dirigentes de Cultura que tenham integrado a entidade, e de associados honorários, “pessoas que reconhecidamente tenham colaborado para o aprimoramento da cultura, segundo critérios da entidade”, conta Caldas.

Ainda segundo o secretário, os recursos da entidade virão de contribuições dos associados e subvenções obtidas em parcerias com instituições públicas ou organizações privadas. Doações e renda financeira também fazem parte do horizonte financeiro da Adimc.

Além de Caldas, a entidade conta com a secretária da Cultura de Votuporanga, Sílvia Cuenca Stipp, nas finanças. O secretário da Cultura de São Vicente, Fábio Lopez, foi o redator dos estatutos.

Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn10Print this pageEmail

Textos relacionados