Cinusp promove mostra de filmes em homenagem a Paulo Emilio

Entre 5 de setembro e 2 de outubro, evento exibirá filmes que foram analisados por Paulo Emílio Sales Gomes e apresentará debates sobre a obra e o legado do crítico

Por - Editorias: Cultura
Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn0Print this pageEmail
Bang Bang, 1971, diretor Andrea Tonacci - Foto: Divulgação
Bang Bang, 1971, diretor Andrea Tonacci – Foto: Divulgação

De 5 de setembro a 2 de outubro, o Cinema da USP (Cinusp), que leva o nome de Paulo Emilio, promove a mostra 100 Paulo Emilio, em homenagem ao centenário do crítico de cinema e professor da USP Paulo Emilio Salles Gomes. A mostra exibirá filmes que foram analisados pelo crítico e incluirá a realização de debates com a participação de docentes, críticos de cinema e ex-alunos de Paulo Emilio. A mostra é feita em parceria com a Cinemateca Brasileira.

“Pesquisamos a obra de Paulo Emilio, suas críticas, ensaios e artigos no Suplemento Literário do jornal O Estado de São Paulo, e fizemos um levantamento de filmes nacionais e estrangeiros que ele considerou relevantes de alguma maneira em sua produção”, explica o programador do Cinusp Maurício Battistuci, responsável pela curadoria da mostra, ao lado de Ayume Oliveira e Thiago Oliveira. Cada filme será acompanhado de uma citação do crítico, justificando sua escolha para compor a mostra.

Candinho, 1954, (Da esq. p/ dir) Abílio Pereira-de Almeida, Mazzaropi Marisa Prado, Adolfo Celi, Ruth de Souza, Adoniram Barbosa - Foto: Divulgação
Candinho, 1954: Abílio Pereira de Almeida, Mazzaropi, Marisa Prado, Adolfo Celi, Ruth de Souza e Adoniram Barbosa – Foto: Divulgação

Dentre as produções que compõem a mostra, o programador destaca os filmes Terra, do ucraniano Aleksandr Dovjenko, e A Chinesa, do francês Jean-Luc Godard, além de Deus e o Diabo na Terra do Sol, de Glauber Rocha, O Cangaceiro, de Lima Barreto, O Pagador de Promessas, de Anselmo Duarte, Carnaval Atlântida, de José Carlos Burle, e Rio, Zona Norte, de Nelson Pereira dos Santos. Battistuci ressalta que, tratando-se de Paulo Emilio, “os filmes brasileiros são ainda mais relevantes”.

Antes de cada sessão, serão apresentados cinejornais (pequenos documentários noticiosos que eram exibidos em salas de cinema, na primeira metade do século 20, fazendo o papel dos telejornais antes da popularização da televisão), a fim de contextualizar os filmes. “A apresentação desses cinejornais é fruto de um trabalho de pesquisa da Cinemateca Brasileira”, informa Battistuci. “Eles se relacionam com o período histórico ou com o tema do filme que será mostrado.”

ZéZero, 1974, diretor Ozualdo Candeias - Foto: Divulgação
ZéZero, 1974, diretor Ozualdo Candeias – Foto: Divulgação

Além das exibições, ao longo da mostra serão realizados cinco debates. No dia 13 de setembro, após a exibição de Deus e o Diabo na Terra do Sol, às 19 horas, o professor Mateus Araújo, da Escola de Comunicações e Artes (ECA) da USP, tratará da influência de Paulo Emilio no Cinema Novo brasileiro. No dia 15 de setembro, depois da apresentação de Trágico Amanhecer, do francês Marcel Carné, também às 19 horas, haverá um debate com Rafael Zanatto, da Cinemateca Brasileira, sobre as relações de Paulo Emilio com o crítico francês André Bazin.

Os outros três debates acontecem nos dias 27, 28 e 29 de setembro, sempre após a sessão das 19 horas. No dia 27, seguindo a exibição de uma seleção de curtas-metragens do diretor brasileiro Humberto Mauro, haverá a participação do professor da Escola de Comunicações e Artes (ECA) da USP Eduardo Morettin. No dia 28, após O Pagador de Promessas, o também professor da ECA Carlos Augusto Calil, ex-aluno de Paulo Emilio, falará sobre a visão que o crítico tinha do cinema. Já no dia 29, após a exibição de ZéZero, filme de Ozualdo Candeias, o professor aposentado da ECA Ismail Xavier, também ex-aluno de Paulo Emilio, tratará da questão do subdesenvolvimento na obra de Paulo Emilio e do seu pensamento crítico.

O Cinusp também prepara o lançamento de um livro sobre Paulo Emilio e sua contribuição para a crítica do cinema nacional. A obra, que terá artigos de especialistas de diferentes regiões do País, ainda está em fase de organização e não tem previsão de lançamento.

slide
A Ilha, 1963 - Foto: Divulgação
slide
Bang Bang, 1971 - Foto: Divulgação
slide
Candinho, 1953 - Foto: Divulgação
slide
Carnaval Atlântida, 1952 - Foto: Divulgação
slide
Deus e o Diabo na Terra do Sol, 1964 - Foto: Divulgação
slide
Macunaima, 1969 - Foto: Divulgação
slide
O Cangaceiro, 1953 - Foto: Divulgação
slide
O Pagador de promessas, 1962 - Foto: Divulgação
slide
Terra, 1930 - Foto: Divulgação
slide
ZéZero, 1974 - Foto: Divulgação
Prev
Next

.

A mostra 100 Paulo Emilio ocorre de 5 de setembro a 2 de outubro, de segunda a sexta-feira, às 16h e às 19h, no Cinusp Paulo Emílio da USP (rua do Anfiteatro, 181, Colmeia, favo 4, Cidade Universitária, São Paulo), sábados e domingos, às 16h, às 18h e às 20h, no Centro Universitário Maria Antonia (Ceuma) da USP (rua Maria Antônia, 294, Vila Buarque, São Paulo). Entrada grátis. Mais informações e a programação completa da mostra podem ser obtidas no site do Cinusp (www.usp.br/cinusp) e pelo telefone (11) 3091-3540.

 

Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn0Print this pageEmail

Textos relacionados