Cinco professores da USP conquistam o Prêmio ABCA

Resultado da apuração foi divulgado no dia 29 de abril

Por - Editorias: Cultura
Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn0Print this pageEmail
20160503_01_md
Foto: Divulgação ABCA

A Associação Brasileira de Críticos de Arte (ABCA) divulgou no dia 29 de abril o resultado da apuração dos votos de críticos e historiadores de arte de todo o País, que elegeram os nomes dos artistas visuais, curadores, críticos, autores e instituições culturais vencedores da edição 2015 do Prêmio ABCA. A contagem de votos foi realizada a partir das 10 horas do dia 29, no Museu Brasileiro da Escultura (MuBE), em São Paulo.

O prêmio contemplou, entre as dez categorias, cinco professores e pesquisadores da USP. São eles: Annateresa Fabris, Lisbeth Rebollo Gonçalves, Ana Maria Belluzzo, Claudio Tozzi e Aracy Amaral.

Annateresa Fabris, professora da Escola de Comunicações e Artes (ECA), foi homenageada com o Prêmio Sérgio Milliet pela publicação do livro A Fotografia e a Crise da Modernidade, da Editora C/Arte. Lisbeth Rebollo Gonçalves, ex-diretora do Museu de Arte Contemporânea (MAC) da USP e professora da ECA, foi agraciada com o Prêmio Mário de Andrade pela sua trajetória no ensino, pesquisa e divulgação da arte brasileira. A professora Ana Maria Belluzzo, da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo (FAU), ganhou o Prêmio Maria Eugenia Franco na categoria Melhor Curadoria, pela mostra Lig-Des Marcelo Nitsche, apresentada no Sesc Pompeia. Claudio Tozzi, professor da FAU, foi eleito para receber o Prêmio Clarival do Prado Valladares por sua trajetória. A historiadora, crítica e curadora Aracy Amaral, também da FAU, ganhou prêmio especial na categoria Destaque.

Também foram eleitos Enock Sacramento para o Prêmio Gonzaga Duque, pela sua atuação de crítico associado da ABCA; Marcello Nitsche, com o Prêmio Mário Pedrosa, na categoria Artista Contemporâneo, e Danilo Santos de Miranda, como Personalidade Atuante na Área Cultural, com o Prêmio Ciccillo Matarazzo. A mostra “Africa Africans”, apresentada no Museu Afro Brasil, obteve o Prêmio Paulo Mendes de Almeida na categoria Melhor Exposição. O Prêmio Rodrigo Mello Franco, que homenageia a instituição com melhor programação, coube ao Centro Cultural Banco do Brasil, e o Prêmio Antonio Bento de Divulgação das Artes foi para o programa Globo News em Pauta.

Neste ano, o troféu é uma homenagem de Maria Bonomi a todos os premiados. A escultora, gravadora e professora da ECA criou uma peça especialmente para os artistas, críticos e pesquisadores que se destacaram em 2015. O prêmio será entregue no dia 31 de maio, às 20 horas, em cerimônia no Sesc Vila Mariana.

Criada em 1949, a Associação Brasileira de Críticos de Arte é a mais antiga associação brasileira de profissionais das artes visuais. Sua fundação, no Rio de Janeiro, foi liderada pelos críticos Sérgio Milliet, seu primeiro presidente, Mário Barata, Antonio Bento e Mário Pedrosa, entre outros.

Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn0Print this pageEmail