Profissão de historiador permite “conversas” com outras áreas do conhecimento

Programa Abrace uma Carreira entrevistou André Mota, coordenador do Museu de História da Faculdade de Medicina da USP

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
Documentos entregues pela Comissão de anistia sobre a ditadura, em Brasília - Foto: José Cruz/ Agência Brasil via Fotos Públicas
Documentos entregues pela Comissão de Anistia sobre a ditadura, em Brasília – Foto: José Cruz/ Agência Brasil via Fotos Públicas

No Abrace uma Carreira, que foi ao ar na Rádio USP hoje, 21 de julho, a jornalista Miriam Ramos entrevista André Mota, formado em História pela Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH) da USP e atual professor do Departamento de Medicina Preventiva da Faculdade de Medicina da USP (FMUSP) e coordenador do Museu de História da FMUSP.

Aluno de escola pública, ele disse que realizar o curso de graduação em História na USP exigiu disciplina de estudo, já que a Universidade preza pelo conhecimento e a informação. “Ao mesmo tempo, ganhei a oportunidade de estar em um ambiente público e conhecer a qualidade do ensino de terceiro grau público”, disse Mota.

O professor explica que, no Departamento de História da FFLCH, o curso é aberto “porque permite a interdisciplinaridade com outras áreas, como o jornalismo, ou medicina, que foi o caminho que escolhi, é um curso que abre muitas possibilidades com qual vizinhança essa História vai conversar, aos poucos você faz uma opção pela particularidade da História”.

Para o profissional que trabalha com História, o momento atual do Brasil é de rupturas e permanências, segundo Mota. “Quando olhamos o hoje, por que vamos olhar o passado? Para percebermos como era diferente de hoje ou se há uma particularidade que ainda permanece. Por exemplo, quando se fala em golpe, é um tema bastante interessante no momento que olhamos a ditadura militar, não é golpe da ditadura militar, mas seria um golpe político de outra natureza? Quer você apoie ou não a saída de um presidente da República, olhar o passado, temos uma referência para nos posicionar. O que estamos vivendo hoje é uma dificuldade grande da população de se posicionar a partir de uma dimensão histórica porque a História vem sendo muito refutada na nossa formação e quando temos dimensão histórica conseguimos nos posicionar com outro sentimento e outras posições que não o ódio que vem prevalecendo nas relações atuais.”

Ouça o programa e acompanhe a entrevista completa com o professor André Mota:

 

Bloco 1

Clique aqui para fazer o downloadlogo_radiousp

Bloco 2

Clique aqui para fazer o downloadlogo_radiousp

Bloco 3

Clique aqui para fazer o downloadlogo_radiousp

A proposta do Abrace uma Carreira é divulgar e tirar dúvidas sobre as profissões. Em cada edição, um especialista é convidado para contar suas experiências e responder às perguntas dos ouvintes. Participam ainda estudantes da área que relatam suas expectativas ao abraçar uma carreira e a realidade que enfrentam para concretizar esse sonho.

O programa vai ao ar na Rádio USP, sintonizada no 93,7 MHz, às quintas-feiras, das 13 às 14 horas, com reprise aos domingos, às 16 horas.

Mais informações: email abrace@usp.br

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Textos relacionados