Especialista aborda métodos alternativos para tratamento da candidíase oral

A doença é comum em grupos de risco e pessoas com baixa imunidade

Compartilhar no FacebookCompartilhar no Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedInImprimir esta páginaEnviar por e-mail

O professor Wanderley Bagnato, do Instituto de Física da USP de São Carlos, conversou sobre os avanços no tratamento da candidíase oral com a repórter Silvana Pires, da Rádio USP. Acompanhe:

 

logo_radiousp

 

A candidíase é uma infecção causada pelo excesso de fungo Candida albicans na boca, que se desenvolve em bebês ou em adultos com o sistema imune enfraquecido devido a gripes, doenças crônicas ou HIV, por exemplo.

Veja também:

Pesquisa  da Faculdade de Odontologia de Ribeirão Preto da USP comprovaram em testes clínicos e laboratoriais que um subproduto da mamona é eficaz no combate aos micro-organismos presentes na boca e não apresenta efeitos colaterais.  Os resultados mostram que solução contendo essa substância pode ser alternativa ao peróxido alcalino – as pastilhas efervescentes – usado na limpeza de prótese dentária total (dentaduras). Essas pastilhas têm alto custo e estão pouco disponíveis no mercado brasileiro.

 

 

Compartilhar no FacebookCompartilhar no Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedInImprimir esta páginaEnviar por e-mail