Prêmio USP de Direitos Humanos homenageia Drauzio Varella

No próximo dia 9 de novembro, a USP promoverá a cerimônia de entrega do Prêmio USP de Direitos Humanos 2015, que homenageará o médico e escritor Drauzio Varella

Compartilhar no FacebookCompartilhar no Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedInImprimir esta páginaEnviar por e-mail
drauzio-varella-reducao-maioridade-penal
Drauzio Varella é médico cancerologista, formado pela USP

No próximo dia 9 de novembro (quarta-feira), a Universidade de São Paulo (USP) promoverá a cerimônia de entrega do Prêmio USP de Direitos Humanos 2015, que homenageará o médico e escritor Drauzio Varella.

O evento terá início às 11h e será realizado na Sala do Conselho Universitário, no prédio da Reitoria (Rua da Reitoria, 374, Cidade Universitária, em São Paulo).

O Prêmio USP de Direitos Humanos foi criado pela Comissão de Direitos Humanos da Universidade em 2000, com o objetivo de identificar e homenagear pessoas e instituições que, por suas atividades exemplares, tenham contribuído significativamente para a difusão, disseminação e divulgação dos Direitos Humanos no Brasil.

O homenageado desta 14ª edição do prêmio é médico cancerologista, formado pela USP. No início dos anos 1970, trabalhou com o professor Vicente Amato Neto, na área de moléstias infecciosas do Hospital do Servidor Público de São Paulo. Durante 20 anos, dirigiu o serviço de Imunologia do Hospital do Câncer (SP) e, de 1990 a 1992, o serviço de Câncer no Hospital do Ipiranga.

Varella foi um dos pioneiros no tratamento da AIDS, especialmente do sarcoma de Kaposi, no Brasil. Em 1989, iniciou um trabalho de pesquisa sobre a prevalência do vírus HIV na população carcerária da Casa de Detenção do Carandiru. Desse ano, até a desativação do presídio, em setembro de 2002, trabalhou como médico voluntário. Atualmente, faz o mesmo trabalho na Penitenciária Feminina de São Paulo.

Na Amazônia, na região do baixo rio Negro, dirige um projeto de bioprospecção de plantas brasileiras com o intuito de obter extratos para testá-los experimentalmente em células tumorais malignas e bactérias resistentes aos antibióticos. É autor de 13 livros, dentre eles, Carcereiros (2012) e Correr (2015), ambos editados pela Companhia das Letras.

É reconhecido pelo trabalho desenvolvido em campanhas de saúde junto à população sobre prevenção à AIDS e em séries televisivas sobre corpo humano, primeiros socorros, gravidez, combate ao tabagismo, planejamento familiar, transplantes, entre outras.

A Comissão

DHA Comissão de Direitos Humanos da USP é presidida pelo ex-ministro de Justiça, José Gregori, e formada pelos docentes Sueli Gandolfi Dallari (Faculdade de Saúde Pública), Maria Hermínia Tavares de Almeida e Pedro Bohomoletz de Abreu Dallari (Instituto de Relações Internacionais), Calixto Salomão Filho (Faculdade de Direito), Ricardo Alexino Ferreira (Escola de Comunicações e Artes), Valentim Gentil Filho (Faculdade de Medicina) e Nancy das Graças Cardia (Núcleo de Estudos da Violência), e pelos representantes Dulce Helena de Brito (servidores técnicos e administrativos) e Cristiano Buoniconti Camargo (discentes).

Na edição passada, o prêmio foi concedido ao professor titular aposentado de Ciência Política da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH), Paulo Sergio Pinheiro, que preside a comissão independente internacional da ONU de investigação sobre a República Árabe da Síria, em Genebra.

(Foto: Divulgação)

Compartilhar no FacebookCompartilhar no Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedInImprimir esta páginaEnviar por e-mail

Textos relacionados