Competição leva projetos brasileiros inovadores a Berlim

Evento que teve etapa brasileira organizada em parceria com o Instituto de Física da USP, “Falling Walls Lab” premia ideias inovadoras

Por - Editorias: Ciências
Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn190Print this pageEmail
Fotos: Kay Herschelmann/Falling Walls Conference
Foto: Kay Herschelmann/Falling Walls Conference

A Falling Walls Lab é uma competição destinada a graduados que tenham concluído os estudos há menos de dez anos, mestres titulados há no máximo sete, e doutores há até cinco anos. Pós-doutorandos e estudantes universitários também podem se candidatar. O intuito do concurso é premiar projetos inovadores de diversas áreas. A Falling Walls Lab São Paulo, realizada pela A.T. Kearney, juntamente com o Centro Alemão de Ciência e Inovação (DWIH-SP) e com o Instituto de Física (IF) da USP, é a etapa brasileira da competição global.

Mais de 2.400 candidaturas de todo o mundo foram submetidas à participação no Falling Walls Labs deste ano, com novas iniciativas e projetos de pesquisa nas áreas de humanidades, ciências sociais, engenharia, negócios e ciências naturais. Antes da final em Berlim, no dia 8 de novembro, competições internacionais de qualificação foram realizadas em 44 países ao longo de 2016. No Brasil, foram 96 inscritos na etapa classificatória, que selecionou 15 participantes para a edição nacional do concurso, realizada em setembro. Dois finalistas brasileiros foram classificados para a final na Alemanha, entre eles José Augusto Stuchi, egresso do Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação (ICMC) da USP, com um projeto de exame de retina.

Os relatos completos da participação brasileira no Falling Walls Lab 2016 podem ser conferidos neste link.

Mais informações: site http://www.fallingwalls.com/lab

Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn190Print this pageEmail

Textos relacionados