Novo grupo de estudos focará espaço urbano e cidadania

Grupo terá a coordenação da professora Ana Fani Alessandri Carlos, do Departamento de Geografia da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH) da USP

Por - Editorias: Ciências Humanas
Compartilhar no FacebookCompartilhar no Google+Tweet about this on TwitterImprimir esta páginaEnviar por e-mail
A cidade como espaço da diversidade e da cidadania será foco das atividades do Grupo de Estudos de Teoria Urbana do IEA – Foto: Acervo União de Mulheres do Município de São Paulo
A cidade como espaço da diversidade e da cidadania será foco das atividades do Grupo de Estudos de Teoria Urbana do IEA – Foto: Acervo União de Mulheres do Município de São Paulo

No centro da crise urbana atual estão a mercantilização espacial, as relações de poder, as revoltas espontâneas, os movimentos sociais organizados, as políticas de emprego e a conquista dos direitos urbanos. Com o objetivo de olhar para essas questões de forma interdisciplinar, o recém-criado Grupo de Estudos de Teoria Urbana irá integrar durante dois anos os quadros de pesquisa do Instituto de Estudos Avançados (IEA) da USP.

Aprovado pelo Conselho Deliberativo do IEA, no dia 13 de dezembro, o grupo terá a coordenação da professora Ana Fani Alessandri Carlos, do Departamento de Geografia da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH) da USP. Autora de Espaço-Tempo na Metrópole, que recebeu a menção honrosa do Prêmio Jabuti em Ciências Sociais de 2002, Ana Fani é especialista em processos metropolitanos e coordenadora do Grupo de Geografia Crítica Radical da FFLCH (Gesp). Também integra o Núcleo de Apoio à Pesquisa (NAP) Urbanização e Mundialização.

Vera Pallamin, professora da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo (FAU) da USP, estará na vice-coordenação. Vera é especialista em cidade e cultura contemporânea; cultura urbana e espaço público; cidade contemporânea e arquitetura; e arte e esfera pública.

“A visão do grupo é que o direito à cidade deve implicar na construção de um novo projeto de sociedade visando a mudanças profundas, na tentativa de diminuir desigualdades e conflitos”, segundo a professora Ana Fani.

Segundo a coordenadora, as transformações espaciais recentes nas grandes cidades levam a questionamentos sobre o rumo dos processos que conduzem à segregação socioespacial. “Trata-se de um processo que expressa a concentração da riqueza e do poder, de forma que o solo urbano acaba subjugado ao mercado e ao universo da troca, situação que limita o acesso dos ‘lugares de realização da vida'”, diz.

Algumas linhas de investigação deverão incluir a sociedade urbana em suas diversas escalas e dimensões; os rearranjos da economia contemporânea determinando as dinâmicas e as formas do processo de reprodução do espaço; as relações entre as possibilidades e as contradições do direito à cidade; os diversos sentidos do emprego; a justiça social e o direito à cidade. Sobre esses temas, as coordenadoras nuclearam seminário do Gesp que resultou no livro Justiça espacial e o direito à cidade, terceiro volume da série Metageografia, a ser lançada em breve pela Editora Contexto.

Os membros permanentes do grupo incluem Alysson Mascaro, professor da Faculdade de Direito (FD) da USP; César Ricardo Simoni Santos, professor da FFLCH; Cibele Saliba Rizek, professora do Instituto de Arquitetura e Urbanismo da USP de São Carlos; Danilo Volochko, professor da Universidade Federal do Paraná (UFPR); Glória da Anunciação Alves, professora da FFLCH; Isabel Pinto Alvarez, professora da FFLCH; Francisco Comaru, professor da Universidade Federal do ABC; Jorge Luis Barbosa, da Universidade Federal Fluminense; Ricardo Alvarez, professor do Centro Universitário Fundação Santo André. O grupo conta ainda com seis pesquisadores colaboradores.

Sylvia Miguel / Assessoria de Comunicação do IEA

Compartilhar no FacebookCompartilhar no Google+Tweet about this on TwitterImprimir esta páginaEnviar por e-mail

Textos relacionados