Você se importa da internet saber tudo sobre você?

As empresas sabem tudo sobre o cidadão; portanto, é preciso maior transparência na relação para fortalecer garantias democráticas

Compartilhar no FacebookCompartilhar no Google+Tweet about this on TwitterImprimir esta páginaEnviar por e-mail

A privacidade on-line é muito rara e precisa ser defendida. As grandes empresas de internet sabem tudo sobre o usuário e comercializam abertamente os dados.

A Alemanha é o país que mais defende a ideia de privacidade, porque já passou por grandes pesadelos como o nazismo e o comunismo, regimes sob os quais o cidadão não tinha vida privada.

A essência da democracia é a ideia de vida privada. Se há excesso de controle e vigilância, não há democracia.

Hoje em dia, os dados do cidadão são públicos, mas só quem não sabe e não tem acesso é o próprio cidadão. É preciso ter uma transparência maior, ou seja, o cidadão deve ser empoderado de seus dados para negociar melhores condições com empresas.

Compartilhar no FacebookCompartilhar no Google+Tweet about this on TwitterImprimir esta páginaEnviar por e-mail

Textos relacionados