Universidade não explora devidamente a virtualidade, diz Grossmann

Interfaces virtuais à disposição na internet reproduzem formatos tradicionais, afirma professor

Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn0Print this pageEmail

A universidade ainda não faz uso de ferramentas virtuais que levem a um mundo além da terceira dimensão. Foi o que afirmou o professor Martin Grossmann, em sua coluna, “Na Cultura o Centro Está em Toda Parte”, que foi ao ar no dia 31 de maio. Ele ressalvou, no entanto, que há exceções, citando como exemplo uma linha de investigação recente – as chamadas “humanidades digitais”.

Para Grossmann, as interfaces virtuais colocadas à disposição na internet são equivalentes virtuais de um catálogo impresso. O Google Maps, por exemplo, se organiza segundo um formato clássico, bidimensional. Basta entrar nos sites de universidades, museus e outras instituições culturais para reparar que as novas tecnologias ainda são exploradas de forma muito restrita, segundo o professor.

Ouça no link acima a íntegra da coluna “Na Cultura o Centro Está em Toda Parte”, de Martin Grossmann.

 

 

 

Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn0Print this pageEmail

Textos relacionados