Testículos fora da bolsa escrotal exigem correção imediata

De acordo com especialista da FMUSP, caso o problema não seja solucionado, prejuízos à saúde podem ocorrer no futuro

Por - Editorias: Atualidades, Rádio USP
Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn0Print this pageEmail
Foto: Indradi Soemardjan/Wikimedia Commons

A criptorquidia é uma condição que ocorre quando os testículos encontram-se fora da bolsa escrotal, uma anomalia usualmente descoberta no consultório médico por meio de um exame clínico em crianças de zero a dois anos de idade. Segundo o professor Uenis Tannuri, da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo, caso o exame não seja realizado – ou o diagnóstico só aconteça quando o indivíduo já se encontre na idade adulta -, podem ocorrer prejuízos à saúde.

O especialista alerta para o fato de existirem situações em que é normal o testículo estar fora da bolsa escrotal – o chamado testículo retrátil. Nesse caso, o médico, por meio de manobras palpatórias, pode recolocá-lo  no devido lugar. O problema ocorre quando o testículo permanece fora da bolsa escrotal mesmo com a adoção daquele procedimento. Eventualmente, o tratamento pode ser cirúrgico.

 

Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn0Print this pageEmail

Textos relacionados