Tabaco está relacionado a um terço dos casos de câncer

Mudança de hábitos ajuda a prevenir doença e exames são importantes para detectar câncer em estágio inicial

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

jorusp

Oito de abril é o Dia Mundial de Combate ao Câncer. A data é importante para conscientizar a população a respeito da prevenção da doença que, nas próximas décadas, deve se tornar a principal causa de morte no mundo. Em entrevista à Rádio USP, a doutora Maria Del Pilar Estevez Diz, chefe da Oncologia Clínica do Instituto do Câncer do Estado de São Paulo, falou sobre os diversos hábitos que estão relacionados à doença.

O uso de tabaco está associado a um maior risco de ter câncer de pulmão, de boca, de orofaringe, de estômago, esôfago, entre outros órgãos. Segundo a oncologista, um terço dos casos de câncer está relacionado ao consumo de tabaco. O consumo de bebidas alcoólicas também está ligado aos cânceres gastrointestinais. A médica ressalta que é difícil mudar esses hábitos, principalmente o de consumo de tabaco, que causa dependência. Porém, são medidas muito simples de serem tomadas, individualmente falando.

A epidemia de obesidade, causada pela associação entre sedentarismo e má alimentação, é outro fator de risco para vários tipos de câncer. É possível melhorar o quadro através da prática de exercícios e de uma alimentação equilibrada. O câncer de pele, de grande incidência, também pode ser evitado com adoções de chapéus, óculos e, principalmente, filtro solar.

Além da mudança de hábitos, a realização de exames que forneçam diagnósticos precoces também é de extrema importância. A realização do papanicolau e da mamografia nas mulheres ajuda a identificar cânceres de colo de útero e de mama em estágio inicial, sendo mais facilmente tratado. A colonoscopia e o exame de sangue oculto ajudam a identificar o câncer intestinal. Também é importante que os homens procurem urologistas frequentemente para detectar o câncer de próstata. “Não ter medo do diagnóstico, procurar um médico quando tem qualquer alteração e fazer exame periódicos são fundamentais para que a gente possa fazer o diagnóstico e ter maior taxa de cura”, conclui a médica.

Jornal da USP, uma parceria do Instituto de Estudos Avançados, Faculdade de Medicina e Rádio USP, busca aprofundar temas nacionais e internacionais de maior repercussão e é veiculado de segunda a sexta-feira, das 7h30 às 9h30, com apresentação de Roxane Ré.

Você pode sintonizar a Rádio USP em São Paulo FM 93.7, em Ribeirão Preto FM 107.9, pela internet em www.jornal.usp.br ou pelo aplicativo no celular. Você pode ouvir a entrevista completa no player acima.

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Textos relacionados