Segredo da longevidade passa pela aquisição de hábitos saudáveis

É o que diz o médico Egídio Lima Dórea, coordenador do projeto Envelhecimento Ativo da USP

Por - Editorias: Atualidades, Rádio USP
Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn1Print this pageEmail
Foto: Pedro Ventura/ Agência Brasília

Não é novidade para ninguém que o perfil da faixa etária da população brasileira está mudando. O número de pessoas acima de 60 anos passou de mais de 11 milhões em 1992 para quase 25 milhões em 2012, um crescimento de 117%. A OMS (Organização Mundial da Saúde) estima que, em 2025, o porcentual suba ainda mais, tornando o Brasil o sexto país com o maior número de idosos: 34,5 milhões.

O médico Egídio Lima Dórea, coordenador do projeto Envelhecimento Ativo da Universidade de São Paulo, diz que o envelhecimento deve ser encarado como um curso de vida e, como tal, “a programação deve começar o mais precocemente possível”. Isso significa dizer que a pessoa deve investir, o quanto antes, em hábitos saudáveis, tais como a prática regular de atividade física; a manutenção do peso corporal, evitando a obesidade; o abandono do tabaco; beber moderadamente e procurar dormir bem. Além disso, deve procurar manter interesses e perspectivas para o futuro.

Dórea admite que o Brasil ainda não está preparado para o envelhecimento e que a infraestrutura de saúde do País deixa muito a desejar. Um outro aspecto a ser levado em conta é o da desigualdade social, que torna o acesso à saúde ainda mais restrito para a população mais carente. No entanto, argumenta ele, a adoção de um estilo de vida saudável pode compensar essa distorção, na medida em que previne o surgimento das chamadas doenças crônicas não transmissíveis, principais causadoras de óbito entre os idosos.

Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn1Print this pageEmail

Textos relacionados