Resistências a acordo entre Mercosul e União Europeia tendem a diminuir

Em sua coluna semanal, Rubens Barbosa volta a tratar das negociações entre os dois blocos, prestes a chegar a um bom termo

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Prossegue em seus últimos dias, em Assunção, no Paraguai, as negociações envolvendo o Mercosul e a União Europeia, as quais o embaixador Rubens Barbosa considera muito importantes, uma vez que caminham para um bom termo, embora alguns pontos ainda estejam pendentes, como é o caso do setor agrícola. “A União Europeia aceitou aumentar um pouco as cotas, sobretudo de carne e açúcar, mas ainda isso não é satisfatório para o Mercosul”, diz o colunista. Segundo ele, há resistência por parte de agricultores na França quanto a esse aspecto da negociação entre os dois blocos comerciais.

Bens industriais, serviços e regras são outros pontos ainda pendentes, mas o lado positivo é o de que há uma predisposição de ambos os lados para avançar nas negociações e aparar as arestas ainda existentes em relação àqueles tópicos. Embora as perspectivas se mostrem incertas, Barbosa está razoavelmente otimista. “Eu acho que não vai haver, nessa negociação que se encerra estes dias, uma declaração ministerial de um pré-acordo, que seria muito importante”, observa o embaixador, antes de concluir: “Mas acho que estamos próximos disso e eu acho que, nos próximos meses, nós vamos ter uma reunião ministerial para que os países, de um lado e de outro, se coloquem em acordo em nível político”.

Rubens Barbosa volta a lembrar que essa negociação com a União Europeia é muito importante como forma de abrir espaço para futuros acordos com outros blocos comerciais.

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Textos relacionados