Renato Janine critica a tolerância com o “todo mundo faz”

Para o filósofo, questões legais e éticas como as que envolveram o deputado Celso Russomanno não podem ser justificadas apenas por serem um comportamento frequente na sociedade

Compartilhar no FacebookCompartilhar no Google+Tweet about this on TwitterImprimir esta páginaEnviar por e-mail

logo_radiousp790px

Foto: Wikimedia Commons
Foto: Wikimedia Commons

Na coluna desta semana, o filósofo Renato Janine Ribeiro comenta questões éticas que costumam ser justificadas “porque todo mundo faz”. Como exemplo,  cita o caso do deputado Celso Russomanno, que poderá se candidatar a prefeito de São Paulo graças à decisão dos ministros do STF, os quais, por três votos a dois, derrubaram decisão do Tribunal Regional Federal, que havia condenado Russomanno por desvio de dinheiro público. Isso ocorreu porque uma secretária que recebia seus salários pelo gabinete do deputado em Brasília prestava serviços em sua produtora em São Paulo. Esse comportamento parece ser comum entre os parlamentares, mas é ético?

 

Compartilhar no FacebookCompartilhar no Google+Tweet about this on TwitterImprimir esta páginaEnviar por e-mail

Textos relacionados