Rádio USP reúne professores para debate sobre ensino a distância

Divergentes em relação à sua eficácia, especialistas avaliam a modalidade educacional

Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn152Print this pageEmail

Parte 1

Parte 2

No programa Diálogos da USP desta semana, o tema debatido foi o ensino a distância, modalidade educacional que permite que estudantes e professores desenvolvam atividades educativas em lugares e tempos diversos.

Para tratar do assunto, foram convidados a professora Vani Moreira Kenski, docente do Programa de Pós-Graduação em Educação da Faculdade de Educação (FE) da USP e vice-presidente da Associação Brasileira de Educação a Distância (Abed), e o professor Valdemar Setzer, docente do Departamento de Ciência da Computação do Instituto de Matemática e Estatística (IME) da USP.

Vani Moreira Kenski e Vademar Setzer – Foto: Marcos Santos/USP Imagens

Apesar de ver a modalidade como válida em alguns casos – como quando há ausência de instituição educacional física próxima ao indivíduo -, Setzer, que defende a educação como arte, afirma considerá-la paliativa e questiona seu caráter massificador. “Eu tenho muito medo de que o ensino a distância transforme a educação numa técnica”, pontua. Para Vani, a modalidade é uma opção viável “para garantir a democratização do acesso a uma educação de qualidade” no Brasil. “É um projeto político, porque nós temos mais de 200 milhões de brasileiros que estão à margem da educação”, avalia.

O debate contou, ainda, com depoimento do professor Nilson Machado, também docente da FE da USP.

 

Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn152Print this pageEmail

Textos relacionados