Prevenção e controle diminuem as doenças crônicas não transmissíveis

Tais doenças são a principal causa e consequência da pobreza e desigualdade social, diz Alexandre Faisal

Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn0Print this pageEmail

O médico Alexandre Faisal Cury explica, na coluna Saúde Feminina, qual o impacto das doenças crônicas não transmissíveis na saúde pública.

Doenças cardiovasculares, diabetes e câncer estão entre as doenças crônicas não transmissíveis que hoje são responsáveis por 38 milhões de morte a cada ano, sendo que 16 milhões dessas pessoas tem menos de 70 anos.

Faisal afirma que, no mundo todo, há um grande esforço em reduzir essas doenças, que estão imbricadas com a baixa condição socioeconômica e a desigualdade social. “São as doenças crônicas não transmissíveis a principal causa e consequência da pobreza e desigualdade social, por isso o objetivo é reduzi-las até 2030.”

Para reduzi-las, segundo Faisal, uma das possibilidades é fazer investimento em prevenção e controle, e não somente em tratamento. “No longo prazo, do ponto de vista econômico, é mais adequado prevenir a doença crônica não transmissível do que apenas buscar tratamento.”

O colunista lembra também que, quanto maior o envelhecimento da população, maior o risco de impactar negativamente a economia.

Ouça mais no áudio acima.

 

 

Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn0Print this pageEmail

Textos relacionados