Poluição compromete a vida nos oceanos e fora deles

As consequências da poluição atingem a flora e a fauna marinhas, mas também a alimentação e o sustento dos homens

Por - Editorias: Atualidades, Rádio USP
Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn0Print this pageEmail

A natureza tem capacidade de se reconstruir e, no caso dos oceanos, isso não é diferente. Nas últimas três décadas, no entanto, as águas marinhas estão recebendo um fluxo de poluição em níveis tão elevados que os oceanos e mares já não conseguem se regenerar.

A poluição oceânica vem principalmente de esgotos e produtos químicos e tóxicos, além da poluição do ar  proveniente de indústrias, o que faz com que o pH da água diminua, deixando-a mais ácida. Assim, a fauna e a flora marinha ficam comprometidas.

De acordo com o professor Fernando Luis Mantelatto,  do setor de Zoologia da Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Ribeirão Preto (FFCLRP) da USP, várias outras substâncias prejudicam a vida marinha, porém o gás carbônico (CO2) é o mais nocivo atualmente. Ele ressalta que o aquecimento da temperatura global é muito preocupante, pois tem os mesmo efeitos do CO2, e todos esses fatores juntos provocam um desequilíbrio muito grande no planeta.

Segundo o professor, a poluição afeta também o ser humano, uma vez que muitos tiram do mar o sustento e parte da alimentação que consomem.

Vitória Junqueira, de Ribeirão Preto

Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn0Print this pageEmail

Textos relacionados