Paulistano vê piora no trânsito e no transporte público

Pesquisa revela piora em diversos aspectos da mobilidade urbana na cidade de São Paulo

Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn0Print this pageEmail

A Rede Nossa São Paulo e a ONG Cidade dos Sonhos publicaram, em 20/9, a Pesquisa de Mobilidade Urbana, que apresenta diversos aspectos da mobilidade na cidade de São Paulo. Realizada entre 27 de agosto e 11 de setembro, com 1.603 habitantes da capital, com idade a partir dos 16 anos, a pesquisa mostra que o nível de satisfação dos paulistanos em relação à “situação do trânsito na cidade” caiu de 3,2 para 2,7, assim como caiu a avaliação do transporte público, de 5,1 para 3,8. Outros nove itens da pesquisa tiveram piora em relação a 2016, como a quantidade de faixas de pedestres (de 5,5 para 4,4) e respeito das leis de trânsito por motoristas e pedestres (de 4,1 para 3,3).

A colunista Raquel Rolnik, em sua coluna “Cidade para Todos”, comenta os resultados da pesquisa, como o do tempo em que o paulistano enfrenta no trânsito da cidade. Na opinião da professora, “se imaginarmos que o tempo médio de deslocamento diário na capital é de três horas, podemos imaginar o que significa três horas diariamente dentro do trânsito. E esse tempo médio inclui tanto os usuários de carro como os de transporte coletivo; embora o tempo médio no transporte coletivo seja ainda pior do que o tempo médio no carro”. 

Confira a opinião de Raquel Rolnik na coluna “Cidade para Todos” desta semana.

Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn0Print this pageEmail

Textos relacionados