Para professor, escola deve promover escuta atenta da música

Ensino da música é obrigatório na educação básica, mas nem sempre prioriza o prazer que ele proporciona

Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn5Print this pageEmail

Geralmente, as aulas de música entram na escola através das aulas de arte, ocupando um espaço pequeno, ou de forma muito ligada à técnica, com o ensino de um instrumento musical específico. Para o professor Rogério Almeida, da Faculdade de Educação (FE) da USP, o ensino de música deveria estar muito mais ligado a um prazer estético.

“Muitas vezes, a música acaba se tornando um elemento de fundo, em relação ao qual não prestamos muita atenção”, diz o professor. A ideia, então, é que a escola possa criar nas aulas de música um ambiente de escuta atenta, para que se aproveite o máximo o que ela tem a oferecer — incluindo o despertar da sensibilidade.

Almeida convida os ouvintes a conhecer o trabalho Lab_Arte, laboratório didático sobre arte, cultura e educação, do qual é coordenador. As atividades acontecem todos os dias, às 18 horas, na Faculdade de Educação, e são abertas ao público.

Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn5Print this pageEmail

Textos relacionados