Para colunista, carro autônomo pode mudar a realidade violenta do trânsito

Glauco Arbix entende que, com o carro autônomo já sendo uma realidade, não devemos nos esquivar desse debate

  • 1
  •  
  •  
  •  
  •  

Recentemente, um carro sem motorista, ainda em fase de testes,  atropelou e matou um pedestre numa cidade do Estado do Arizona, onde estão liberados para testes os carros autônomos. Bastou isso para que as críticas despontassem. No Brasil, esse debate ainda parece distante, argumenta o professor Glauco Arbix, mas tudo conclama para que seja aberto, pois em nosso país são muito altos os índices de acidentes de trânsito, responsáveis pela vitimização de 47 mil pessoas por ano.

Como aliar inovação, comportamento e legislação? A solução não parece fácil, mas certamente passa por uma melhoria nas condições de segurança das ruas e avenidas das grandes cidades. O transporte alternativo também pode ser uma saída, assim como a boa formação de condutores soa como uma medida eficaz.

“O carro sem motorista, dado o potencial de benefícios que promete, se torna a cada dia uma realidade, uma realidade que as cidades, do jeito que estão, com os carros com motoristas, do jeito que estão, não conseguem dar conta.” Na opinião do colunista, os carros autônomos podem transformar essa realidade, tornando as cidades mais seguras e habitáveis. É necessário, porém, abrir o debate em torno do assunto.

 

  • 1
  •  
  •  
  •  
  •  

Textos relacionados