Para cientista político, é preciso combater aceitação social da corrupção

De acordo com o colunista da Rádio USP, tal aceitação pode ser atribuída à cultura política dos brasileiros, e precisa ser enfrentada

Compartilhar no FacebookCompartilhar no Google+Tweet about this on TwitterImprimir esta páginaEnviar por e-mail

00

Banner - Divulgação
Banner da segunda etapa da campanha contra corrupção do Ministério Público Federal – Imagem: Divulgação

O cientista político José Álvaro Moisés retoma, em sua coluna desta semana, a proposta – elaborada pelo Ministério Público Federal, com o apoio de quase 2,5 milhões de pessoas – que prevê a adoção de dez medidas contra a corrupção. Álvaro Moisés prestou depoimento na Comissão Especial da Câmara dos Deputados sobre essa propositura, que considera possuir vários aspectos positivos. Ele chama a atenção para um aspecto que entende ser muito importante: a ideia de utilizar de 10% a 20% dos recursos de publicidade dos governos para informar, esclarecer e educar a sociedade sobre a natureza do fenômeno da corrupção e sobre  seu impacto na qualidade da democracia.

Compartilhar no FacebookCompartilhar no Google+Tweet about this on TwitterImprimir esta páginaEnviar por e-mail

Textos relacionados