Os segredos que estão por trás da computação social

Na coluna “Datacracia” desta semana, especialista comenta as redes sociais e suas estruturas

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Na coluna de hoje, o professor Luli Radfahrer comenta sobre computação social. Tal termo refere-se a sistemas digitais que dão suporte à interação social, ou seja, criam as estruturas virtuais para que a interação humana aconteça. O especialista em tecnologia explica que a computação social cria um espaço, como se fosse o “pátio de uma escola”, onde as pessoas podem interagir entre si, contudo, ressalta que tais construções podem ser feitas para prender o usuário em um sistema.

O professor também dá exemplos de computação social e comenta como certas estruturas nas redes sociais apenas funcionam para manter o usuário cada vez mais conectado na rede: “Alguns vão criar essas estruturas porque eles querem te ajudar, e algumas são estruturas que estão ali para te prender ou vender algo para você, e se você sabe diferenciá-las você consegue viver melhor lá dentro”, afirma.

Você pode conferir a coluna completa no player acima.

Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.


  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Textos relacionados