O teatro marxista de Bertolt Brecht

O dramaturgo alemão aprofundou o conceito de teatro épico, por meio do qual ator e público ativam a consciência crítica

Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn0Print this pageEmail

Ouça  a coluna “Diversidades”, com o professor Ricardo Alexino Ferreira.

logo_radiousp_790px
.

Bertolt Brecht - Foto: Divulgação
Bertolt Brecht – Foto: Divulgação

Um dos grandes nomes do teatro contemporâneo, o  poeta, dramaturgo e encenador Bertolt Brecht é o que se pode chamar de a voz dos oprimidos. Suas peças sempre se destacaram pelo tom marxista, que ele procurou levar também para a teoria e a prática da dramaturgia e da encenação. Brecht mudou completamente a função e o sentido social do teatro, procurando usá-lo como arma de conscientização e politização. Nas palavras do dramaturgo, é preciso estranhar tudo que é visto como natural.

Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn0Print this pageEmail

Textos relacionados