O 13 de maio que a história oficial não conhece

Alexino Ferreira coloca em questão a versão, registrada pela história, de que a abolição foi um “presente” das elites aos negros

Compartilhar no FacebookCompartilhar no Google+Tweet about this on TwitterImprimir esta páginaEnviar por e-mail

A historiografia oficial brasileira e as narrativas dominantes sempre se empenharam em inviabilizar ou criminalizar os movimentos sociais e de resistência. A história do negro brasileiro é constituída de muita luta pela liberdade. Um dos pontos mais marcantes de resistência foram os quilombos, que se constituíram do século 16 ao 19. Os quilombos eram formados por escravizados que fugiam das fazendas, mas há dados históricos de que os maiores entre eles também abrigavam brancos pobres. Em sua coluna semanal para a Rádio USP, o professor Ricardo Alexino Ferreira revisita a historiografia oficial brasileira ao mesmo tempo em que lança um olhar sobre as comunidades quilombolas ainda existentes em território nacional.

Compartilhar no FacebookCompartilhar no Google+Tweet about this on TwitterImprimir esta páginaEnviar por e-mail

Textos relacionados