Novo tratamento de tabagismo usa capacete de estimulação cerebral

Médica comenta técnica de estimulação magnética transcraniana, ainda em fase de estudo no HC

  • 49
  •  
  •  
  •  
  •  

jorusp

Uma nova técnica de tratamento para o tabagismo está sendo testada no Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP. Trata-se de uma estimulação magnética transcraniana, através de um capacete que, ao ser colocado na cabeça do paciente, gera campo magnético, estimulando a liberação de neurotransmissores. Jaqueline Scholz Issa, cardiologista e coordenadora da área de Cardiologia do Programa de Tratamento do Tabagismo do Instituto do Coração do HC, conta que a expectativa é de que a estimulação profunda diminua os sintomas de abstinência, auxiliando os pacientes que querem parar de fumar.

O tratamento dura seis semanas. A ideia é que o fumante abandone o cigarro já no final da primeira semana de estimulação cerebral. Os tratamentos farmacológicos têm duração de 12 semanas. São processos muito eficazes, avalia a doutora. Com o uso de medicamentos, 60% dos pacientes conseguem parar de fumar. Para ser considerado bem-sucedido, a nova técnica deve resultar em, pelo menos, 40% ou 50% de eficácia.

Jaqueline conta que, dentre as pessoas que tentam abandonar o vício por conta própria, apenas 5% são bem-sucedidas. Os sintomas da abstinência – desconcentração, impaciência, fome, irritação – é o que castiga o fumante. Sendo uma doença, o tabagismo deve ser tratado, para que os sintomas sejam minimizados. A doutora completa, dizendo que tentar tirar o vício “na marra” seria como ir ao dentista, fazer um canal e não usar anestesia.      

A médica diz que ainda deve demorar cerca de dois anos para que o estudo seja concluído, e que as expectativas são boas, uma vez que a técnica já é utilizada há anos no tratamento de doenças psiquiátricas, obtendo resultados positivos. Ela conclui dizendo que já se planeja tratar dependência de outras drogas e até transtornos alimentares pela estimulação cerebral.

Jornal da USP, uma parceria do Instituto de Estudos Avançados, Faculdade de Medicina e Rádio USP, busca aprofundar temas nacionais e internacionais de maior repercussão e é veiculado de segunda a sexta-feira, das 7h30 às 9h30, com apresentação de Roxane Ré.

Você pode sintonizar a Rádio USP em São Paulo FM 93.7, em Ribeirão Preto FM 107.9, pela internet em www.jornal.usp.br ou pelo aplicativo no celular. Você pode ouvir a entrevista completa no player acima.

  • 49
  •  
  •  
  •  
  •  

Textos relacionados