Novo Pokémon Go quer mapear o mundo com ajuda dos jogadores

Mapa em Realidade Aumentada traz novas dinâmicas ao jogo e problemas na relação entre público e privado

A próxima versão do Pokémon Go, jogo que virou uma febre internacional, com 800 milhões de downloads, deve ser um mapa em Realidade Aumentada feito pelos jogadores. Em sua coluna na Rádio USP, a artista e professora da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da USP, Giselle Beiguelman comenta esse tema.
A professora explica que a Realidade Aumentada é uma tecnologia que suplementa o mundo físico com informações, fazendo com que coexistam no mesmo espaço objetos virtuais e objetos reais.
“Com um mapa em RA, os jogadores podem criar estruturas que podem ser visualizadas por outros usuários nos locais em que o jogo acontece e isso certamente enriquecerá a participação e a experiência do jogo”, diz Giselle. “Mas não podemos nos esquecer que a cartografia, hoje, na era do ‘capitalismo-plataforma’, como indicou Benjamin Bratton, migrou da esfera de competência exclusiva dos Estados para a das empresas de tecnologia que atuam nas chamadas nuvens computacionais, como a Google. E que parte desse ‘serviço’ é delegado ao usuário, que marca no mapa os pontos de interesse e deixa lá registrado os rastros por onde passou,” destaca.
O presidente-executivo da Niantic, que desenvolve o jogo, John Hanke, declarou  que a empresa permitirá que desenvolvedores terceirizados usem seu mapa de Realidade Aumentada para fins comerciais, o que deve tornar-se um negócio multibilionário.
Como se vê, além de pendências técnicas, há ainda que se resolver questões éticas e legais com relação às novas dinâmicas que se impõe nas relações entre público e privado. “No contexto pós-virtual em que vivemos”, diz a professora, “passa a ser mais que urgente questionar: quem coleta nossos dados, para onde vão e o que é feito desse manancial de registros acumulados.”
Quem quiser saber sobre detalhes sobre o novo Pokémon Go ouça no link acima a íntegra da coluna. Mais informações sobre o tema acesse:
www.desvirtual.com

Textos relacionados