No centro de cada galáxia do Universo existe um buraco negro supermassivo

Vistas como nebulosas e chamadas de “ilhas no Universo”, muito já se discutiu a respeito da natureza das galáxias, agrupamentos estelares com tamanhos e formatos variados

Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn0Print this pageEmail

cab_steiner

logo_radiousp790px
.

Galáxias elípticas são na maioria consequência da colisão de duas galáxias espirais - Foto: Wikimedia Commons
Galáxias elípticas são, na maioria, consequência da colisão de duas galáxias espirais – Foto: Wikimedia Commons

Cerca de um bilhão de anos após o big-bang, as primeiras estrelas nasceram e se aglutinaram, formando um corpo em rotação sobre si mesmo. As galáxias foram então se canibalizando, como dizem alguns astrônomos, transformando-se em objetos cada vez maiores. Hoje já se sabe que exatamente no centro de uma galáxia existe um buraco negro de massa enorme, ao redor do qual seus objetos giram. Conheça um pouco desses fascinantes sistemas cósmicos com o astrofísico João Steiner, em sua coluna “Entender Estrelas”, na Rádio USP.

Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn0Print this pageEmail

Textos relacionados