No Brasil, debate sobre desigualdade racial mostra-se cada vez mais atual

“Diálogos na USP” convida especialistas para discutir sobre racismo, cultura e cotas

Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn0Print this pageEmail

Das comemorações do Dia da Consciência Negra até o polêmico episódio envolvendo o âncora William Waack, neste mês de novembro, o debate sobre desigualdade racial ganhou destaque na sociedade brasileira. Para discutir quão presente está o racismo em nosso cotidiano, o programa Diálogos na USP convidou esta semana o professor Ivan Claudio Pereira Siqueira, da Escola de Comunicações e Artes (ECA) da USP, e a professora Eunice Prudente, da Faculdade de Direito (FD) da USP.

Foto: Marcos Santos / USP Imagens

Segundo o IBGE, 54% da população nacional é constituída por pretos e pardos. No entanto, dados trazidos pelo professor Ivan Siqueira provam que os negros não são maioria apenas no que se refere à quantidade populacional brasileira. Mulheres negras são as que mais sofrem com agressão doméstica, 70% dos 2 milhões de jovens que não estão estudando no País são negros, assim como mais de 60% dos presos nacionais — números breves, que mostram o tamanho da desigualdade sofrida mesmo após um século de abolição.

Durante o programa, também debateu-se sobre a necessidade de discutir  o racismo de maneira estrutural, tratando de medidas políticas, sociais, eleitorais e — na visão da professora Eunice — pela intervenção da iniciativa privada para resolução desses problemas.

Para finalizar, a importância do negro na construção da cultura também foi ressaltada no Diálogos, lembrando também da conquista da Universidade com a implementação de cotas raciais.

Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn0Print this pageEmail

Textos relacionados