Mudanças na escala de furacões Saffir-Simpson não são necessárias

Professor da USP defende que os atuais sistemas de medição de ventos são imprecisos para realizar alteração

A escala Saffir-Simpson foi criada em 1970 para medir e classificar furacões. Ela é dividida em cinco categorias: a primeira engloba ventos entre 119 km/h e 153 km/h e a quinta, mais perigosa, ventos acima de 251 km/h. Entretanto, alguns cientistas afirmam que essa escala está obsoleta, pois as recentes mudanças climáticas fazem com que seja necessário incluir uma sexta categoria na escala, que descreveria tempestades com força de 320 km/h.

O professor Augusto José Pereira Filho, do Departamento de Ciências Atmosféricas do Instituto de Astronomia, Geofísica e Ciências Atmosféricas (IAG) da USP, argumenta que essa nova categoria não é necessária. Para ele, os sistemas atuais de medição de ventos ainda são imprecisos e a organização da escala hoje já é suficiente para representar a gravidade dos furacões.

Ouça a matéria completa no player acima.

Textos relacionados