Mortes por acidentes de trânsito são tratadas com complacência

Colunista avalia motivações e aponta as mudanças em documentos legais como possível solução para o problema

Compartilhar no FacebookCompartilhar no Google+Tweet about this on TwitterImprimir esta páginaEnviar por e-mail

Na coluna desta semana, o professor Paulo Saldiva trata da complacência com que as mortes causadas por acidentes de trânsito são julgadas no Brasil, atribuindo-a à “cultura da permissividade do automóvel” e à ideia que se tem de que acidentes de trânsito são naturais.

Além de propor uma possível solução para a situação – a mudança no Código de Trânsito Brasileiro (CTB) e no Código Penal -, Saldiva indica a canção Rua Augusta, de Ronnie Cord, um exemplo de narrativa que mostra a “tolerância que nós temos para esse tipo de assassinato”.

Compartilhar no FacebookCompartilhar no Google+Tweet about this on TwitterImprimir esta páginaEnviar por e-mail

Textos relacionados