Modestos heróis que são modelos de resistência

Quatro histórias em que a decisão moral dependeu da coragem individual de desafiar a pressão do grupo

Compartilhar no FacebookCompartilhar no Google+Tweet about this on TwitterImprimir esta páginaEnviar por e-mail

logo_radiousp790px

Paul Grüninger, comandante da polícia suíça que ajudou refugiados judeus a fugir da Áustria em 1938 - Foto: The World Holocaust Remembrance Center
Paul Grüninger, comandante da polícia suíça que ajudou refugiados judeus a fugir da Áustria em 1938 – Foto: The World Holocaust Remembrance Center

A ensaísta Susan Sontag certa vez escreveu: “No centro de nossa vida moral e de nossa imaginação moral estão os grandes modelos de resistência, as grandes histórias daqueles que disseram ‘não’”.

Essa epígrafe foi escolhida pelo  jornalista Eyal Press, colaborador de importantes publicações como The New York Review of Books, The Nation e The New Yorker, para abrir seu livro Beautiful Souls, de 2012, em que pesquisou e descreveu quatro histórias de pessoas que, quebrando regras, foram capazes de levantar a voz e dizer “não”, recusando-se a pactuar com iniquidades.

.


Foto: Reprodução/CNN
Foto: Reprodução/CNN

Ouça também a coluna da semana passada da professora Marilia Fiorillo, onde faz  o paralelo  entre o Holocausto e Aleppo que foi mencionado  no debate  dos candidatos Trump e Clinton.

.
Crimes de guerra são notícia hoje e sempre

logo_radiousp790px

.

.

.

Compartilhar no FacebookCompartilhar no Google+Tweet about this on TwitterImprimir esta páginaEnviar por e-mail

Textos relacionados