Livro transcreve visão particular do nosso trânsito de cada dia

A primeira impressão ao se ler o livro é de um efeito de estranhamento que se torna muito intenso

Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn0Print this pageEmail

cab_wisnik

Em sua coluna, Guilherme Wisnik chama a atenção para um livro de poemas de nome Trânsito, de um poeta norte-americano traduzido para o português pelos também poetas

Imagem de capa do livro Traffic, de Kenneth Goldsmith - Foto: Reprodução
Imagem de capa do livro “Traffic”, de Kenneth Goldsmith – Foto: Reprodução

Marília Garcia e Leonardo Gandolfi. O diferencial, segundo o colunista, é que eles não se limitaram somente a traduzir o livro do inglês para o português, mas realizaram um trabalho que intitulam de “dublagem”, em que, a partir das informações do trânsito veiculadas por uma rádio brasileira, especializada no tema, transcrevem o procedimento,  adaptando-o às idiossincrasias locais e constituindo “um registro antropológico muito forte do nosso imaginário e da nossa cultura”.

Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn0Print this pageEmail

Textos relacionados