Liberar moderadores de apetite é dar mais opções contra obesidade

Controle da prescrição deveria ser realizado a partir do receituário B2 disponibilizado pela Vigilância Sanitária

Compartilhar no FacebookCompartilhar no Google+Tweet about this on TwitterImprimir esta páginaEnviar por e-mail

O presidente da Câmara dos Deputados sancionou a liberação dos medicamentos moderadores de apetite, que eram vetados pela Agência de Vigilância Sanitária (Anvisa).

Foto: via Tero Vesalainen / Pixabay / CC0 Public Domain

Segundo a médica assistente do grupo de Obesidade e Síndrome Metabólica do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina (HCFM) da USP,  Maria Edna de Melo, a autorização pode ampliar o leque de tratamento contra a obesidade.

No entanto, ela explica que a medicação deve ser suspensa caso gere efeitos colaterais ao paciente.  Além disso, ela considera que um controle mais eficiente da prescrição desse tipo de fármaco seria se utilizar do receituário B2 fornecido pela Vigilância Sanitária.

O Jornal da USP, uma parceria do Instituto de Estudos Avançados, Faculdade de Medicina da USP e Rádio USP, busca aprofundar temas nacionais e internacionais de maior repercussão e é veiculado de segunda a sexta-feira, das 7h30 às 9h30, com apresentação de Roxane Ré.

Você pode sintonizar a Rádio USP em São Paulo FM 93.7, em Ribeirão Preto FM 107.9, pela internet em www.jornal.usp.br ou pelo aplicativo no celular.

Compartilhar no FacebookCompartilhar no Google+Tweet about this on TwitterImprimir esta páginaEnviar por e-mail

Textos relacionados